Arquivo da tag: Sony

Venom 2 | Tom Hardy indica início de produção com imagens misteriosas; veja

Protagonista compartilha nova arte com encontro de Simbionte e Carnificina

Venom 2 | Tom Hardy indica início de produção com imagens misteriosas; veja

Tom Hardy pareceu ter anunciado o início da produção de Venom 2 com duas imagens publicadas hoje (15) em seu Instagram. A primeira traz apenas uma nova arte com Venom e Carnificina enquanto a segunda mostra um crachá de identificação de seu cachorroro nos estúdios da Warner Bros. A imagem mostra o título “Fillmore”, conhecido como o nome de produção da sequência. Confira:

Rumores também indicam que Hardy havia publicado uma terceira foto em seguida, com a legenda “primeiro dia”, antes de rapidamente deletá-la. A suposta publicação foi capturada por internautas e pode ser conferida abaixo: 

Venom 2 terá direção de Andy Serkis e contará com os retornos de Hardy, Harrelson e Michelle Williams como Anne. O filme estreia em 2 outubro de 2020.

A Jornada do Autodidata em Inglês

PROMOÇÃO DE BLACK FRIDAY

http://bit.ly/2QfHghT

Aranhaverso 2 | Roteirista confirma participação do Homem-Aranha japonês

Sequência chegará aos cinemas em abril de 2022

Aranhaverso 2 | Roteirista confirma participação do Homem-Aranha japonês

A sequência de Homem-Aranha no Aranhaverso terá presença da versão japonesa do herói. A informação foi confirmada por Phil Lord, produtor e roteirista do primeiro filme, em sua conta no Twitter. Confira abaixo:

– Agora que anunciaram Aranhaverso 2, se por algum milagre dos milagres o Homem-Aranha Japonês estiver no filme, eu faria o design dele para vocês com prazer. Sinceramente, Shannon
– O design dele já está pronto!

O Homem-Aranha japonês é uma versão livremente inspirada no herói criada para uma série live-action exibida no final dos anos 1970. Com uma premissa bizarra envolvendo OVNIS e robôs gigantes

Lançado em 2018, Homem-Aranha no Aranhaverso segue a história do jovem Miles Morales e sua transformação no Homem-Aranha de sua realidade. No entanto, várias versões do herói surgem de outras dimensões e precisam se unir para voltar para casa. O longa arrecadou US$ 375 milhões no mundo e levou o Oscar 2019 de Melhor Longa Animado.

Embora nada tenha sido divulgado, a expectativa é que a equipe original retorne para a sequência, incluindo a dupla Phil Lord e Chris Miller. O novo filme chegará aos cinemas em 8 de abril de 2022.

Venom 2 | Tom Hardy se prepara para encontro com Carnificina em imagem

Foto do Instagram mostra ilustração com os rostos do vilão e do anti-herói

Montagem de cena de Venom com um recorte do personagem Carnificina/Sony Pictures/Marvel Comics

Tom Hardy já está no aquecimento para as filmagens de Venom 2. O ator usou sua conta do Instagram para compartilhar uma imagem criada por um fã que mostra uma versão personalizada das máscaras que simbolizam o teatro, uma pintada com o rosto de Venom e a outra com o de Carnificina, vilão que será vivido por Woody Harrelson – veja abaixo:

Nós somos Venom 2

Venom 2 terá direção de Andy Serkis e contará com os retornos de Hardy, Harrelson e Michelle Williams como Anne. O filme estreia em 2 outubro de 2020.

Homem-Aranha no Aranhaverso | Sequência ganha data de lançamento para 2022

Animação da Sony com história de Miles Morales venceu o Oscar

A sequência da animação Homem-Aranha no Aranhaverso teve sua estreia confirmada para 8 de abril de 2022. A notícia foi confirmada nas redes sociais oficiais da franquia, após um uma postagem misteriosa na última semana:

Lançado em 2018, Homem-Aranha no Aranhaverso segue a história do jovem Miles Morales e sua transformação no Homem-Aranha de sua realidade. No entanto, várias versões do herói surgem de outras dimensões e precisam se unir para voltar para casa. O longa arrecadou US$ 375 milhões no mundo e levou o Oscar 2019 de Melhor Longa Animado.

Embora nada tenha sido divulgado, a expectativa é que a equipe original retorne para a sequência, incluindo a dupla Phil Lord e Chris Miller

Por que o Homem-Aranha de Sam Raimi ainda é o melhor filme do herói

Filme de 2002 estabeleceu padrões de história de origem e ousou ser fofo

Por que o Homem-Aranha de Sam Raimi ainda é o melhor filme do herói

Hoje em dia é difícil imaginar um mundo sem filmes de herói. A era do domínio do MCU e a crescente diversidade de estilos destes longas é resultado de um poder comercial gigante que talvez fosse bem diferente se não fossem alguns lançamentos do início dos anos 2000. Na virada do milênio, o cinema de herói era escasso mas não inexistente, e dava seus primeiros passos para um futuro grandioso com o lançamento de Blade (1998) e X-Men (2000).

Mas foi Sam Raimi e o seu Homem-Aranha em 2002 que exemplificaram o potencial comercial do gênero. Quando ele se tornou o primeiro filme a superar US$ 100 milhões no final de semana de estreia, a indústria brilhou os olhos com um futuro novo e promissor. Estabelecendo padrões de histórias de origem de super-heróis, a produção está longe do que o gênero se tornou, mas ele traz elementos únicos que seriam muito bem-vindos nos filmes atuais.

Celebrando o aniversário de 60 anos de Sam Raimi, descrevemos abaixo por que o seu Homem-Aranha permanece como um clássico dos filmes de herói:

A direção

Um dos fatores mais chamativos do Homem-Aranha de Sam Raimi é que ele é de Sam Raimi. Enquanto grande parte dos filmes de herói atuais procuram esconder a identidade dos cineastas por trás das câmeras, o filme de 2002 tem um visual característico, construído pela impressão de Raimi em todo lugar. Cenas marcadas pelo ponto de vista do personagem, sequências com grandes sombras e um certo tom de terror – gênero pelo qual Raimi é mais conhecido – são visíveis por toda trilogia.

Até os easter eggs de Homem-Aranha são menos relacionados aos quadrinhos do que ao próprio Raimi. No longa, o tio Ben dirige o Oldsmobile Delta 88, carro da juventude de Raimi, que foi incluído em todos os seus filmes. Bruce Campbell, protagonista de A Morte do Demônio (1981), apareceu nos três filmes, como anunciador do ringue de luta-livre no primeiro filme, o segurança do teatro no segundo, e o maitre do restaurante no terceiro.

A distinta direção de Sam Raimi dá um carisma à trilogia de Homem-Aranha que é raramente visto hoje em dia, e certamente contribui para que os filmes tenham tanta personalidade. Não é à toa que o MCU é elogiado quando dá mais liberdade e exibe a identidade de seus diretores, o que aconteceu em longas como Guardiões da Galáxia, de James Gunn, ou Thor: Ragnarok, de Taika Waititi.

Sem medo de ser brega

Um dos fatores mais memoráveis deste Homem-Aranha é que, mais do que grandioso ou tecnológico, ele é comovente. Peter Parker teve o seu jeito esquisito nas três versões vistas no cinema – com Andrew Garfield e Tom Holland além de Maguire – mas foi no filme de Raimi que o desconforto adolescente do herói foi feito com mais graça. O Peter Parker de Tobey Maguire é intenso, romântico e fofo, e sua jornada é marcada por momentos realmente emotivos.

Seja na morte do Tio Ben, no primeiro beijo com MJ, ou a comovente cena do trem no segundo filme, quando os cidadãos de Nova York se colocam na frente do herói para defendê-lo, a trilogia do diretor não foge de momentos emocionantes, sem precisar emendá-los com um momento descolado ou engraçado para descontrair do sentimento da cena.

A trilogia pode ter levado isso longe demais no terceiro filme, lembrado para sempre pela sequência de dança de Peter Parker, e por mais que a cena (e o filme) tenha desagradado os fãs, isso é resultado de uma ousadia muito digna de não ter medo de ser brega.

O lado ser humano do super-herói

Nos filmes de Raimi, o Homem-Aranha mascarado não domina a história. Estes longas são mais aprofundados em Peter Parker do que no seu elemento heroico. Além de lidar com os seus poderes surreais, Parker tem conflitos totalmente terrenos: ele lida com problemas financeiros, perde seu emprego, não consegue conciliar sua vida de super-herói com a faculdade, e o aspecto humano de tudo isso é explorado muito bem. É a humanidade do Homem-Aranha que chama atenção nos filmes do diretor, e não seus super-poderes. É por isso que o filme funciona tão bem (e também) como um drama adolescente, mais do que um “filme de super-herói”.

No segundo longa há um momento perfeito para exemplificar isso, quando Peter encontra a carta de despejo da Tia May, no seu aniversário. Existe uma problemática real na cena que nada tem a ver com os poderes de Peter. E vê-lo aceitando os US$ 20 dólares de presente da tia, apesar dos problemas financeiros dela, é um momento realmente comovente.

Cenas de ação

Mesmo com toda emoção envolvida, a trilogia de Sam Raimi também é admirada por cenas de ação brilhantes, que mesmo com a grandiosidade das batalhas do MCU, ainda estão entre os melhores momentos do Homem-Aranha nas telas. A cena do trem do segundo filme, que começa com uma batalha com o Doutor Octopus no meio da cidade e se encerra com o icônico momento em que o herói, sem a máscara, consegue parar o trem antes que ele caia dos trilhos, tem uma dinâmica acelerada perfeita.

E apesar do segundo filme ser mais relembrado, ótimas cenas de ação estão presentes nos três filmes de Raimi (sim, nos três). O final do primeiro filme, com o confronto final com Duende Verde na ponte, a última batalha com Doc Oc no segundo, ou o momento em que Eddie Brock se torna o Venom no último filme são cenas que transmitem uma intensidade real (mesmo em um filme que desliza em diversos aspectos).

O elenco (e o J.K. Simmons)

Além de ter acertado no tom, na direção e na escolha das histórias, Sam Raimi acertou em cheio ao escalar Tobey Maguire como seu protagonista. Contrariando as opiniões do estúdio, Raimi insistiu na escalação e conseguiu um ator que, apesar de claramente velho demais para estar na escola, transmitiu muito bem ternura, pureza, esquisitice e conflito.

O duende verde de Willem Dafoe, assim como o Doutor Octopus de Alfred Molina, também são inesquecíveis, e combinaram tão bem com seus papeis que seria difícil ver os vilões interpretados por outros nomes no cinema. Completados pela Mary Jane de Kirsten Dunst e o Harry Osborn de James Franco, o elenco da trilogia de Sam Raimi encaixou perfeitamente com seus personagens.

Além de tudo isso, ninguém conseguiria lembrar dos primeiros filmes do Homem-Aranha sem mencionar o roubador de cena J.K. Simmons. O seu J. Jonah Jameson, uma figura à parte, é uma criação perfeita que eleva o humor do filme e marca como um dos melhores elementos da trilogia, facilmente.

A trilha sonora

Depois de trabalhar na trilha sonora de Batman (1989), Danny Elfman foi chamado para trabalhar novamente com Raimi, com quem já tinha colaborado em Darkman: Vingança sem Rosto e Um Plano Simples. O que Elfman criou para o personagem foi dois temas diferentes, um para Peter Parker e outro para o Homem-Aranha. A ideia funcionou transmitindo perfeitamente a grandiosidade do super-herói e a vulnerabilidade do humano. Um dos exemplos mais chamativos está no fim do primeiro filme, quando Parker aceita sua responsabilidade e a orquestração cresce.

O tema de Elfman é memorável, e a sua ausência no terceiro filme da trilogia (após um conflito com o diretor durante a produção do segundo) certamente fez falta.

Com grande poder vem grande responsabilidade

Existe um código moral claro que guia a jornada de Peter Parker nos filmes de Sam Raimi muito mais do que nas outras versões do herói no cinema. Ao introduzir a história de origem do herói (criando fórmula para histórias de origens que viriam desde então) e apresentar as inesquecíveis palavras do Tio Ben, “com grande poder vem grande responsabilidade”, Raimi apresentou o lema que deu rumo à jornada de Peter Parker. As histórias dos dois filmes funcionam tão bem porque elas são guiadas por isso.

Não apenas Peter Parker como os dois vilões que ele enfrenta nos primeiros filmes fazem parte deste rumo. O que funciona perfeitamente no filme de 2002 e 2004 é que tanto o Duende Verde quando o Doutor Octopus enfrentam o mesmo dilema que Peter. Eles adquiriram grandes poderes, mas não lidaram com suas responsabilidades, o que faz dos dois os antagonistas que completam o arco de Peter. Talvez o problema do terceiro filme tenha sido exatamente este, a falta de um antagonista tão bem construído.

Trilhar uma jornada humana como esta é o que fez do Parker de Tobey Maguire inesquecível. Ele é o garoto que enfrenta problemas humanos como os nossos e consegue se tornar o herói que gostaríamos de ser. Mesmo com as tentações – retratadas muito bem na vontade de Peter de viver uma vida normal -, Parker completa um arco e se torna um herói de verdade e um exemplo, ao aceitar suas responsabilidades.

Homem-Aranha: Longe de Casa | Livro apresenta uniformes alternativos

Coleção Art of apresenta novas versões da roupagem do teioso para o filme

Homem-Aranha: Longe de Casa | Livro apresenta uniformes alternativos

O livro Art of, da Marvel Studios, divulgou alguns uniformes alternativos do teioso em Homem-Aranha: Longe de Casa. As ilustrações apresentam a roupagem do herói redesenhada em novas versões: de alterações no símbolo à máscara com olhos iluminados e combinações da roupa clássica com a Iron Spider. Confira abaixo: [via Comic Book]

 

Em setembro, após várias idas e vindas, Sony e Marvel chegaram a um acordo e o Homem-Aranha voltou ao MCU. Com isso, as duas empresas produzirão o terceiro filme do herói, que chega aos cinemas em 16 de julho de 2021. Como parte do acordo, o personagem de Tom Holland também poderá aparecer em novos filmes do MCU. A produção será de Kevin Feige, pela Marvel, e de Amy Pascal, com a Pascal Pictures. 

Homem-Aranha | Tom Holland salvou o acordo entre Marvel e Sony

Ator procurou as duas empresas diversas vezes e pressionou pelo

acordo

 

Tom Holland em Homem-Aranha: Longe de Casa

 

Tom Holland foi o principal responsável por unir a Sony Pictures e a Marvel Studios para que o Homem-Aranha continuasse no MCU. Após a separação das duas empresas em agosto, o ator procurou o CEO da Disney, Bob Iger, e o presidente da Sony, Tom Rothman, diversas vezes para pressionar as duas partes a chegarem a um acordo (via The Hollywood Reporter).

Holland convenceu as empresas mostrando o forte fluxo de fãs do herói Amigão da Vizinhança. Outro fator que ajudou a reforçar o acordo foi a hashtag #SaveSpiderMan (salve o Homem-Aranha) que os fãs criaram e divulgaram na internet após o ator aparecer na D23 para divulgar a animação Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica.

Kevin Feige, presidente da Marvel Studios, comemorou o retorno do herói no fim de setembro. “Estou emocionado que a jornada do Aranha no MCU vai continuar. Todos nós da Marvel Studios estamos muito animados em continuar trabalhando nisso. O Homem-Aranha é um ícone poderoso e um herói cuja história atravessa todas as gerações e públicos ao redor do mundo. Ele também é o único herói com o superpoder de cruzar universos cinematográficos, então, enquanto a Sony continua desenvolvendo seu universo do Homem-Aranha, você nunca sabe o que o futuro reserva”. 

O desentendimento entre a Marvel e a Sony aconteceu porque o estúdio por trás do MCU estava descontente com sua participação nos lucros de produtos relacionados ao Homem-Aranha. A Marvel então negociou uma porcentagem maior, mas a Sony, percebendo o potencial financeiro do herói, optou por retomar o controle criativo do herói, tirando Kevin Feige da produção dos longas e o personagem do MCU. Agora, segundo o Deadline, a Disney vai cofinanciar 25% do terceiro filme e terá um retorno também de 25%.

Assim, o Teioso ganhará um terceiro filme, com estreia marcada para 16 de julho de 2021, e poderá aparecer em novos filmes do MCU. Espera-se que o herói de Holland também apareça em filmes do universo de vilões da Sony.

Joe Russo diz que Sony cometeu erro ao tirar Homem-Aranha da Marvel

Diretor afirma que é impossível o estúdio replicar o sucesso do Teioso no MCU

Joe Russo diz que Sony cometeu erro ao tirar Homem-Aranha da Marvel

Em uma entrevista ao Toronto Sun, Joe e Anthony Russo discutiram um pouco mais a turbulenta saída do Homem-Aranha do MCU após o fim do acordo entre Disney e Sony, detentora dos direitos cinematográficos do herói.

Enquanto o irmão repetia o discurso de que não estava surpreso com o final do acordo, Joe foi mais objetivo, dizendo que a Sony não conseguirá repetir o sucesso espetacular que Kevin Feige e a Marvel Studios tiveram em contar histórias incríveis com o Cabeça de Teia. “Foi um grande erro”, afirmou Joe.

A Sony tem planos de montar seu próprio universo cinematográfico baseado no Homem-Aranha, principalmente após o sucesso inesperado de Venom, que fez US$856 milhões nas bilheterias mundiais. Um filme do vilão Morbius, com Jared Leto já está confirmado e o estúdio ainda está desenvolvendo “cinco ou seis” produções televisivas inspiradas em personagens relacionados ao Cabeça de Teia.

A desentendimento entre a Marvel Studios e a Sony Pictures aconteceu durante o mês de agosto, quando veio a tona que a dona do MCU estava descontente com sua participação nos lucros de produtos relacionados ao Homem-Aranha. A Marvel então negociou uma porcentagem maior mas a Sony, percebendo o potencial financeiro do herói, optou por retomar o controle criativo do Teioso, tirando Kevin Feige da produção dos longas e o personagem do MCU. Entenda melhor o acordo aqui.

Recentemente, Homem-Aranha: Longe de Casa se tornou a maior bilheteria da Sony com US$ 1,109 bilhão arrecadados mundialmente, superando 007 – Operação Skyfall. O filme ganhará versões em home video em setembro – veja a lista completa de conteúdos extra.

Sony afirma que “portas estão fechadas” para retorno do Aranha ao MCU

Presidente elogiou outros trabalhos produzidos pelo estúdio sem apoio da Disney

O retorno do Homem-Aranha para o MCU não deve acontecer tão cedo. De acordo com o presidente da Sony, Tony Vinciquerra, as portas para o acordo “estão fechadas por enquanto”.

Colocando panos quentes na discussão que toma conta da internet desde agosto, o CEO da empresa agradeceu o trabalho de Kevin Feige nos filmes do teioso, dizendo que o personagem cresceu nos longas da Marvel Studios, mas afirmou que produções como Homem-Aranha no Aranhaverso e The Boys (transmitida pela Amazon), ambas da Sony, foram sucesso de público e crítica, mostrando que o estúdio “também tem ótimas pessoas trabalhando” nas produções de super-heróis.

Por outro lado, Vinciquerra mostrou que pode, um dia, voltar a abrir as portas para uma negociação com a Disney, dizendo estar ciente da reação negativa do público e afirmando que “a vida é muito longa”.

A Sony tem planos de montar seu próprio universo cinematográfico baseado no Homem-Aranha, principalmente após o sucesso inesperado de Venom, que fez US$856 milhões nas bilheterias mundiais. Um filme do vilão Morbius, com Jared Leto já está confirmado e o estúdio ainda está desenvolvendo “cinco ou seis” produções televisivas inspiradas em personagens relacionados ao Cabeça de Teia.

A desentendimento entre a Marvel Studios e a Sony Pictures aconteceu durante o mês de agosto, quando veio a tona que a dona do MCU estava descontente com sua participação nos lucros de produtos relacionados ao Homem-Aranha. A Marvel então negociou uma porcentagem maior mas a Sony, percebendo o potencial financeiro do herói, optou por retomar o controle criativo do Teioso, tirando Kevin Feige da produção dos longas e o personagem do MCU. Entenda melhor o acordo aqui.

Recentemente, Homem-Aranha: Longe de Casa se tornou a maior bilheteria da Sony com US$ 1,109 bilhão arrecadados mundialmente, superando 007 – Operação Skyfall. O filme ganhará versões em home video em setembro – veja a lista completa de conteúdos extra.

Homem-Aranha: Longe de Casa será lançado digitalmente em setembro

Versão física em blu-ray e DVD deve acontecer duas semanas depois

Homem-Aranha: Longe de Casa será lançado digitalmente em setembro

A versão digital de Homem-Aranha: Longe de Casa deve ser lançada no Brasil em 25 de setembro, de acordo com a informação listada nos detalhes do longa, disponível para encomenda, no iTunes. Confira:

Homem-Aranha: Longe de Casa no iTunes/Reprodução

Nos EUA, a data listada é de 17 de setembro. Como a versão digital é geralmente lançada duas semanas antes da versão física, o longa deve estar disponível para compra em blu-ray e DVD em meados de outubro.

Kevin Feige, presidente do Marvel Studios, praticamente confirmou a saída do herói do MCU em entrevista para a EW ao dizer que o acordo “não foi feito para durar para sempre”. Já Holland confirmou que continua com o papel do Homem-Aranha e disse que a equipe encontrará novas formas de fazê-lo ainda mais divertido.

As negociações para renovar o acordo sobre o Homem-Aranha desandaram esta semana. A Disney fez uma proposta para dividir os lucros dos filmes do teioso de igual para igual. Assim, Marvel e Sony receberiam 50% cada uma: nos filmes anteriores, a Disney recebeu 5% dos valores de venda de ingressos e ficou com todo o lucro de merchandising. A Sony recusou a proposta e, com isso, Kevin Feige não será mais o produtor dos filmes solo do Aranha.

Recentemente, Homem-Aranha: Longe de Casa se tornou a maior bilheteria da Sony com US$ 1,109 bilhão arrecadados mundialmente, superando 007 – Operação Skyfall.

O filme ganhou um relançamento com quatro minutos a mais nos EUA hoje, 29 de agosto.

A Lotofácil de independência vai sortear 71 MILHÕES!!

Quer descobrir uma fórmula que te ajuda a fazer 14 pontos e mudar de vida?

Ao invés de escolher 15 números para tentar ganhar, aqui você só escolhe 5 e o sistema faz todo o restante.

Aqui está a sua garantia:

Se você simular qualquer resultado, errar 5 números e não acertar 14 pontos na Lotofácil, devolvemos o seu dinheiro na hora!

 

Página com vídeo que explica o método Lotofácil Expert Profissional

http://bit.ly/2UgSoer

 

Link Checkout

http://bit.ly/2ZwGbYZ