Arquivo da tag: Polêmica

Ex-esposa de Jeremy Renner acusa ator de ameaçá-la de morte

Incidente teria acontecido em 2018; ator alega que mulher “dramatizou” a briga

O ator Jeremy Renner, conhecido como o Gavião Arqueiro do MCU, é acusado de ter ameaçado sua ex-esposa Sonni Pacheco de morte. De acordo com o TMZ, o episódio aconteceu em novembro de 2018, quando o ator, sob efeito de drogas, começou a falar sobre assassinar Pacheco porque “não conseguia lidar mais com ela”. Em seguida, Renner teria ido para casa e começado uma briga que terminou com o ator ameaçando se suicidar com uma arma.

A reportagem afirma que Jeremy Renner tem um longo histórico não só de violência doméstica, como também de abuso de drogas, chegando a deixar cocaína ao alcance de Ava, sua filha de seis anos. Pacheco, atualmente divorciada do ator, entrou com um pedido para passar a custódia da criança de conjunta para exclusiva, permitindo a Renner apenas visitas monitoradas.

Um representante de Jeremy Renner afirmou ao TMZ que o foco do ator é o bem-estar de sua filha e afirmou que houve “dramatização” por parte de Sonni Pacheco.

Fim de semestre chegando e o prazo para finalizar o TCC começa a acabar

Você não precisa mais se desesperar

Conheça o Monografis – Orientador TCC

O Monografis é uma plataforma online que serve como assistente de escrita dissertativa na elaboração do TCC, projeto TCC, artigo científico a artefatos mais complexos, dissertação e tese.

Seja orientado de forma Profissional

Link para checkout

http://bit.ly/2mIxmbR

Anúncios

Scorsese desenvolve comentário sobre a Marvel: “não deveríamos ser invadidos”

Diretor de Taxi Driver aprofunda comentário de que filmes da Marvel não são cinema

Scorsese desenvolve comentário sobre a Marvel: "não deveríamos ser invadidos"

O diretor Martin Scorsese, que marcou manchetes recentes ao declarar que não considera os filmes do MCU como cinema, desenvolveu seu comentário em uma nova entrevista durante o festival de Londres BFI, explicando que os filmes da Marvel não deveriam dominar as salas de exibição [via CB]: 

“O valor de um filme que é como um parque temático, por exemplo, os filmes da Marvel que tornam os cinemas como parques de diversão, são uma experiência diferente. Como eu disse antes, isso não é cinema, é algo diferente. Se você gosta disso ou não, é diferente, e nós não deveríamos ser invadidos por isso. E por isso é uma grande questão, e precisamos que as salas de cinema se imponham, para permitir a exibição de filmes que são filmes narrativos”. 

Depois do pronunciamento do diretor de Taxi Driver e Os Bons CompanheirosJames Gunn, que comandou os filmes de Guardiões da Galáxia, divulgou uma declaração se dizendo chateado. 

Em sua polêmica declaração, Scorsese disse que os atores não conseguem, apesar de todo o seu esforço, passar uma experiência emocional e psicológica para os espectadores. Para o diretor, os longas da Marvel, apesar de bem-feitos, estão mais próximos de atrações de parques de diversão.

Até o momento, o Universo Cinematográfico da Marvel já lançou 23 filmes conectados e anunciou seus próximos lançamentos para a Fase 4 na San Diego Comic-Com 2019

James Gunn está confirmado para dirigir Guardiões da Galáxia vol. 3 e a sequência de Esquadrão Suicida. 

Já O Irlandês, próximo filme de Martin Scorsese, terá uma estreia intimista dia 1 de novembro nos cinemas americanos, para poder concorrer ao Oscar 2020, e chega à Netflix em 27 do mesmo mês.

Fim de semestre chegando e o prazo para finalizar o TCC começa a acabar

Você não precisa mais se desesperar

Monografis – Orientador TCC

O Monografis é uma plataforma online que serve como assistente de escrita dissertativa na elaboração do TCC, projeto TCC, artigo científico a artefatos mais complexos, dissertação e tese.

Seja orientado de forma Profissional

Link para checkout

http://bit.ly/2mIxmbR

Big Mouth | Criador se desculpa por explicação ofensiva sobre pansexualidade

Comunidade LGBTQ+ sentiu que definição da série propaga estereótipos

Cena de Big Mouth/Netflix/Divulgação

Conhecida por retratar de maneira cômica, porém fiel, as desventuras da adolescência, a animação Big Mouth se tornou alvo de polêmica ao introduzir, de maneira estereotipada, a personagem Ali (Ali Wong), que se identifica como pansexual. Apesar da representatividade ser bem-vinda, a cena em que a garota explica a orientação sexual tornou-se problemática por sua explicação simplista e por reforçar preconceitos.

Durante o trecho – assista abaixo – Ali define bissexuais como “binários demais” e afirma que pansexuais sentem atração por “garotos, garotas e tudo que estiver no meio”, antes de falar sobre transexuais usando alimentos.

De acordo com a página GLAAD (que deixa claro que sua definição não tem o intuito de ser universal), é bissexual o indivíduo que “se atrai por pessoas de mais de um gênero, pessoas do mesmo gênero ou não, ou que se identifiquem como bissexuais”. Já pansexuais seriam aqueles que “sentem atração por todos os gêneros ou independente de gênero”.

Entre as reclamações feitas contra a série, estava o argumento de que a cena reforçava o estereótipo de que haveria um atrito entre pessoas que se identificam como bissexuais e o restante da comunidade LGBTQ+, assim como a generalização incorreta de bis e pansexuais.

Por conta da polêmica, Andrew Goldberg, um dos criadores de Big Mouth, se pronunciou no Twitter, pedindo desculpas pela explicação ofensiva oferecida pela série – confira abaixo:
https://t.co/TyJ0ZrQjwb pic.twitter.com/49H6UwbU9n— Andrew Goldberg (@BigMouthAndrew) October 7, 2019 https://platform.twitter.com/widgets.js

Nós erramos feio com a definição de bissexualidade v pansexualidade e eu e meus colegas sinceramente pedimos desculpas a quem se sentiu mal representado. Toda vez que tentamos definir algo tão complexo quanto a sexualidade humana é algo desafiador e nós deveríamos ter nos esforçado mais. Obrigado às comunidades pan, trans e bi por abrir ainda mais nossos olhos para um assunto tão importante quanto representatividade. Estamos escutando e esperamos resolver isso em temporadas futuras

As três primeiras temporadas de Big Mouth já estão disponíveis na Netflix, assim como o especial O Amor é um Terror.

 

South Park é banida na China após tirar sarro da censura do país

Episódio critica a censura do governo chinês em relação a outras culturas

Randy sendo preso por policias chineses

A animação South Park está proibida de ser exibida na China após tirar sarro do país. No episódio que baniu a série, Band in China (Banda na China), a turminha dos criadores Trey Parker e Matt Stone mostram Hollywood tendo que fazer ajustes em seus filmes e programação de TV para passar pela censura do governo chinês. [via Hollywood Reporter]

Band in China possui duas histórias que criticam os regimes do país: a primeira mostra Randy, pai de Stan, tentando vender maconha em terras chinesas e acaba preso. Logo, é enviado a um campo de trabalho usado pelo governo para doutrinar politicamente os chineses muçulmanos.

Na outra, os amigos Stan, Jimmy, Kenny e Butters formam uma banda de heavy-metal. Mas, assim que o grupo começa a ficar famoso e a trabalhar com empresários, são obrigados a alterar os conteúdos de suas obras para se adequar à censura da China.

O governo do país respondeu excluíndo todos os episódios dos serviços de streaming e discussões sobre o assunto foram apagados das redes sociais. Quando os fãs procuram pelo nome da série no Baidu Tieba, a maior plataforma de comunicação chinesa, se deparam com a seguinte mensagem: “De acordo com a lei e regulamentação em vigor, esta seção está temporariamente fechada”.

Nesta segunda-feira (07), os criadores da série emitiram um pedido de desculpas irônico pelo Twitter, onde dizem que assim como os chineses, amam dinheiro mais do que liberdade e democracia.

 

Coringa | Rede de cinemas orienta pais a não levarem crianças ao filme

Em post no Facebook, empresa diz que o longa possui “más vibrações”

Coringa correndo

A rede de cinemas Alamo Drafthouse, que opera em 40 salas nos EUA, emitiu um comunicado orientando os pais a não levarem as crianças para assistir Coringa. Segundo a empresa, o filme de Todd Phillips possui “más vibrações”. [via Entertainment Weekly]

[Cuidado, possíveis spoilers abaixo]

“Aviso aos pais (isso não é uma piada)“, escreveu a rede em post no Facebook. “Coringa é proibido por algumas razões. O filme traz muitas cenas de linguagem chula, violência brutal e más vibrações no geral. O filme é cru, obscuro e realista, mostrando a descida de um homem à loucura no estilo de Taxi Driver. O filme não é para crianças e elas nem gostariam dele mesmo (o Batman não aparece)”, informou o aviso.

A políca de Nova York também está preocupada com possíveis ataques aos cinemas norte-americanos neste fim de semana devido à estreia do filme. Policiais fardados e à paisana estarão presentes nas salas de cinemas em uma operação especial do departamento. 

Segundo a sinopse oficial, Coringa segue a história de Arthur Fleck, um homem lutando para se integrar à sociedade despedaçada de Gotham. Trabalhando como palhaço durante o dia, ele tenta a sorte como comediante de stand-up à noite, mas descobre que a piada é sempre ele mesmo. Preso em uma existência cíclica, oscilando entre a realidade e a loucura, Arthur toma uma decisão equivocada que causa uma reação em cadeia, com consequências cada vez mais graves e letais, nesta exploração ousada do personagem.

O filme estreia nos cinemas brasileiros nesta quarta-feira (3 de outubro).

Marighella tem estreia cancelada no Brasil

Cinebiografia dirigida por Wagner Moura faria sua estreia em 20 de novembro

Marighella tem estreia cancelada no Brasil

A O2 Filmes anunciou o cancelamento da estreia do filme Marighella. A cinebiografia do guerrilheiro baiano Carlos Marighella chegaria aos cinemas brasileiros em 20 de novembro, mas não conseguiu atender aos trâmites da Agência Nacional do Cinema (Ancine).

De acordo com o UOL, a O2 entrou com recursos no órgão em busca de verbas para comercializar o filme e também pediram reembolso das despesas que a produtora arcou, que somam mais de R$ 1 milhão. Como ambas as solicitações foram negadas, a estreia do filme foi adiada indefinidamente.

Marighella já passou por vários festivais, inclusive o Festival de Berlim, onde estreou sob aplausos. O filme narra a vida do guerrilheiro baiano Carlos Marighella entre 1964 e 1969, quando ele morreu em uma emboscada por policiais na época da ditadura militar. Protagonizado por Seu Jorge, o elenco conta com Adriana Esteves, Humberto Carrão e Bruno Gagliasso.

HQ dos Vingadores que seria recolhida da Bienal do Rio esgota em menos de 1 hora

História foi alvo de polêmicas após prefeito Marcelo Crivella solicitar que edição fosse lacrada

Capa da HQ Vingadores: A Cruzada das Crianças

A edição encadernada de Vingadores: A Cruzada das Crianças, que a prefeitura do Rio solicitou que fosse recolhida da Bienal, esgotou em menos de 1 hora no evento. Segundo informações da assessoria, todas as edições foram vendidas em aproximadamente 40 minutos após a abertura dos portões. A Bienal afirma ainda que os quadrinhos não foram lacrados com um plástico preto, já que a prática só acontece com edições que contém algum teor pornográfico e este não é o caso.

Ontem (5), o prefeito Marcelo Crivella publicou um vídeo em suas redes sociais, dizendo que solicitou o recolhimento das edições para que elas fossem lacradas, com um aviso de “conteúdo impróprio” para crianças. Escrita por Allan Heinberg e publicada originalmente em 2010, a HQ tem como personagens centrais o casal abertamente homossexual Wiccano Hulkling, que aparece abraçado e dividindo a mesma cama em algumas páginas.

O recolhimento foi anunciado após discurso do vereador Alexandre Isquierdo (DEM) na Câmara Municipal do Rio, na última quarta (4), em que o político ataca a publicação como uma “covardia” às crianças e chama os colegas de Câmara a assinarem uma carta de repúdio contra MarvelPanini e Salvat, todas responsáveis pela publicação da revista em diferentes momentos.

Em comunicado oficial, a Bienal do Rio reafirmou a pluralidade do evento e reforçou o direito dos consumidores de trocarem livros cujos conteúdos não agradem – leia o comunicado abaixo:

A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+.

A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor.

A organização da Bienal ainda divulgou a programação de três painéis voltados para a literatura LGBTQA+. No Café Literário, com participação João Silvério Trevisan (Companhia das Letras), Jaqueline Gomes de Jesus (Metanoia) e Tobias Carvalho (Record), acontecerá a mesa “Diversidade, substantivo plural“, às 17h do dia 7 de setembro.

Também no dia 7, às 11h, o debate “Feminismo x Machismo” acontecerá com o youtuber Spartakus SantiagoMel Duarte e Ellora, tendo Claudia Sardinha como mediadora. Às 19h, a mesa “Literatura Arco-Íris” será mediada pelo autor e cineasta Felipe Cabral e contará com Lucas RochaVitor MartinsIgor PiresThati Machado, Vinicius Grossos e Pedro HMC. A última mesa da Arena #SemFiltro da Bienal acontece às 19h do dia 8 de setembro. Felipe Cabral mediará a conversa “Literatura Trans“, que contará com Laísa MarilacNana QueirozTarso BrantNatalia Travassos e Amora Moira.

Justiça proíbe prefeitura de restringir venda de livros na Bienal do Rio

Polêmica começou com HQ dos Vingadores que mostrava beijo entre Hulkling e Wiccano

Justiça proíbe prefeitura de restringir venda de livros na Bienal do Rio

Bienal do Livro Rio conseguiu, nesta sexta (6), no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro um mandato preventivo de segurança para garantir o pleno funcionamento do evento neste final de semana.

Desde quarta-feira, a Bienal tem sido alvo de ataques políticos por conta da venda da HQ Vingadores: Cruzada das Crianças, que exibe um quadro com um beijo homossexual entre os personagens WiccanoHulklingA revista teve sua venda proibída pela prefeitura, mas esgotou em menos de uma hora, impedindo os fiscais responsáveis de efetuarem o recolhimento ordenado.

Por meio de seu Twitter, a Bienal comunicou que o mandato tem como objetivo proteger os direitos dos expositores de “comercializar obras literárias das mais diversas temáticas” – leia abaixo:

 

Ontem (5), o prefeito Marcelo Crivella publicou um vídeo em suas redes sociais, dizendo que solicitou o recolhimento das edições para que elas fossem lacradas, com um aviso de “conteúdo impróprio” para crianças. Escrita por Allan Heinberg e publicada originalmente em 2010, a HQ tem como personagens centrais o casal abertamente homossexual Wiccano e Hulkling, que aparece abraçado e dividindo a mesma cama em algumas páginas.

O recolhimento foi anunciado após discurso do vereador Alexandre Isquierdo (DEM) na Câmara Municipal do Rio, na última quarta (4), em que o político ataca a publicação como uma “covardia” às crianças e chama os colegas de Câmara a assinarem uma carta de repúdio contra MarvelPanini e Salvat, todas responsáveis pela publicação da revista em diferentes momentos.

Em comunicado oficial, a Bienal do Rio reafirmou a pluralidade do evento e reforçou o direito dos consumidores de trocarem livros cujos conteúdos não agradem – leia o comunicado abaixo:

A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+.

A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor.

A organização da Bienal ainda divulgou a programação de três painéis voltados para a literatura LGBTQA+. No Café Literário, com participação João Silvério Trevisan (Companhia das Letras), Jaqueline Gomes de Jesus (Metanoia) e Tobias Carvalho (Record), acontecerá a mesa “Diversidade, substantivo plural“, às 17h do dia 7 de setembro.

Também no dia 7, às 11h, o debate “Feminismo x Machismo” acontecerá com o youtuber Spartakus SantiagoMel Duarte e Ellora, tendo Claudia Sardinha como mediadora. Às 19h, a mesa “Literatura Arco-Íris” será mediada pelo autor e cineasta Felipe Cabral e contará com Lucas RochaVitor MartinsIgor PiresThati Machado, Vinicius Grossos e Pedro HMC. A última mesa da Arena #SemFiltro da Bienal acontece às 19h do dia 8 de setembro. Felipe Cabral mediará a conversa “Literatura Trans“, que contará com Laísa Marilac, Nana QueirozTarso Brant, Natalia Travassos Amora Moira.

Harry Potter banido

Outra questão envolvedo a cultura pop aconteceu no Tennessee, EUA. Uma escola católica do local baniu a saga de livros escrita por J.K. Rowling, afirmando que as magias escritas são reais e “podem invocar espíritos malignos”. A decisão foi do reverendo Dan Reehill, que afirmou em e-mail aos pais: “Esses livros apresentam magia como boa e também ruim, o que não é verdade, mas sim uma enganação”.

Confome afirmamos neste artigo, publicado originalmente em 2017, não há comportamento do lado dos mocinhos, ou mesmo dos anti-heróis, que corrobore o ódio que muitos destilam atualmente. O preconceito, em todas as suas formas, não tem espaço na cultura pop. Não é, como muitos insistem em afirmar, uma questão de opinião. Promover o ódio e desprezar diferenças é uma atitude que está, e sempre estará, do lado dos vilões.

Vingadores: A Cruzada das Crianças | Conheça a HQ de Wiccano e Hulkling

Saga de 2012 voltou os holofotes do Universo Marvel para os Jovens Vingadores

Vingadores: A Cruzada das Crianças | Conheça a HQ de Wiccano e Hulkling

Em 1961, Stan Lee e Jack Kirby se uniram para a criação da primeira HQ do Quarteto Fantástico, uma família que recebeu dons fantásticos e decidiu usá-los para combater o crime e salvar a Terra dia após dia. Esse foi o ponto de partida do Universo Marvel, que pouco mais de quatro décadas depois, em 2005, ganhou uma nova super-equipe chamada Jovens Vingadores.

Embora a Casa das Ideias já contasse com centenas de heróis, a equipe era formada por personagens inéditos e se destacou graças ao inteligente roteiro de Allan Heinberg, roteirista conhecido por seu trabalho na TV em séries como The O.C., Sex and the City e anos depois seria responsável pelo roteiro do filme Mulher-Maravilha. Entre os novos paladinos estavam Wiccano e Hulkling, que desde a primeira edição da revista Young Avengers vivem um romance que ficou subentendido até se tornar aberto no sétimo número da HQ. Desde então, a dupla e sua equipe se envolveram em grandes eventos como Guerra Civil, Invasão Secreta e O Cerco, até que eles mesmos foram o foco de um, chamado A Cruzada das Crianças. A saga voltou aos holofotes por um triste motivo, afinal a revista foi arbitrariamente considerada imprópria durante a Bienal do Rio. Entretanto, além de toda a controvérsia, esse “polêmico” quadrinho é um grande exemplo de uma boa história da Marvel que reúne todas as características de um clássico da editora – especialmente a capacidade de retratar com fidelidade o mundo em que ela foi escrita.

Reprodução/Marvel Comics

O ponto de partida para a trama é um confronto entre os Jovens Vingadores e a Sociedade da Serpente, um grupo de vilões do Capitão América que com o tempo ganhou um viés extremista, fazendo de minorias suas vítimas favoritas. Durante o confronto, Billy Kaplan, o Wiccano, perde o controle de seus poderes mágicos e acaba deixando 20 dos membros da Sociedade inconscientes após um deles ameaçar explodir uma bomba que carregava. Assustados com a possibilidade do garoto perder o controle, os Vingadores decidem levá-lo para uma espécie de diagnóstico com o intuito de impedir que haja um novo caso de “Feiticeira Escarlate”, heroína que moldou a realidade à sua vontade durante a saga Dinastia M, tirando os dons mutantes da maior parte da população. Consciente de que a Feiticeira pode ser sua mãe, o herói parte em uma jornada ao lado de seus amigos para descobrir o paradeiro de Wanda Maximoff e dar a ela uma chance de redenção.

A busca pela Feiticeira

Com a busca pela Feiticeira Escarlate como mote principal de A Cruzada das Crianças, a trama incorpora uma série de questionamentos modernos que vão além do clássico “mocinhos versus bandidos”. Se por um lado existe a possibilidade de Wanda Maximoff recuperar seus poderes e aniquilar de vez a raça mutante – e talvez até outros heróis -, há a esperança para que ela restabeleça a ordem após causar tanto sofrimento no passado. Os heróis se dividem em lados e tomam posições, algumas mais extremas como no caso do Wolverine, que acredita que matá-la é a melhor opção, até outros mais sentimentais como o de Magneto e Mercúrio, que gostariam de reaver uma importante parte de sua família. Em 9 edições, a saga desenvolve um conflito sobre o papel de um herói no mundo moderno com viagens no tempo, grandes batalhas e até mesmo uma discussão sobre segundas chances.

O texto de Heinberg é inteligente e consegue de maneira crível devolver a humanidade à Feiticeira Escarlate ao retomar uma trama do final dos anos 1980. Na época, a heroína e o andróide Visão tiveram os gêmeos Tommy e Billy, que foram absorvidos pelo vilão Mestre Pandemônio em uma grotesca cena em que utiliza os bebês como mãos. Conscientes do quão traumático uma perda poderia ser para Wanda, sua memória é apagada e a existência dos gêmeos se torna um segredo. Anos depois as memórias retornam e o pior acontece, com a heroína atacando – e matando – alguns de seus companheiros Vingadores e criando os eventos que levaram à saga A Queda, em que a equipe chega ao fim, e Dinastia M. Enquanto a heroína enfrentava o peso de seu passado, surgiram Wiccano e Célere, membros dos Jovens Vingadores, que apesar de nascerem de pais diferentes são fisicamente idênticos, e replicam os poderes da Feiticeira Escarlate e Mercúrio, uma série de coincidências que revelaram à Billy o fato de que eles eram de fato os filhos perdidos da heroína.

A jornada de Wiccano e Célere ecoa a origem da Feiticeira Escarlate e Mercúrio estabelecida na edição #185 da revista dos Vingadores, como crianças criadas por ciganos foram perseguidas por serem diferentes. Enquanto os gêmeos Maximoff usam a clássica metáfora de mutantes como pessoas a serem perseguidas, Billy e seu irmão Tommy deixam escancaradas as dificuldades enfrentadas por pessoas diferentes do considerado “normal” de forma mais aberta, especialmente por conta da homossexualidade de Wiccano. Durante o embate contra a Sociedade da Serpente, Hulkling decide atingir um dos vilões não com violência, mas com o próprio preconceito ao dar um beijo em sua bochecha. Em resposta, o vilão passa a destilar preconceitos e afirma que o herói “queimaria no inferno” pelo ato, se colocando como superior por conta de sua orientação sexual. Mesmo praticando atos terroristas e cometendo assassinatos, o antagonista chega a citar textos religiosos para justificar seu discurso preconceituoso.

Reprodução/Marvel Comics

Na última edição da saga, após o conflito se resolver e a paz se restabelecer momentaneamente no Universo Marvel, Wiccano e Hulkling compartilham um momento de carinho e se beijam, marcando a primeira vez em que o casal troca carícias explicitamente quase sete anos após fazerem sua estreia nos quadrinhos. Em 2019, quase uma década após sua publicação original, o beijo se tornou o cerne de uma polêmica que o acusa de ser um “conteúdo sexual para menores”, quando passa longe disso, retratando um momento singelo entre duas pessoas que se amam sem objetificação. Apesar da repercussão negativa gerada pela tentativa de censura, especialmente por acontecer em pleno Século XXI, o momento acabou se tornando uma ilustração da luta que minorias travam diariamente na tentativa de serem ouvidas e reiterou a importância dos heróis, que não precisam existir em carne e osso para combater grandes vilões como desrespeito e intolerância.

Prefeitura do Rio determina que HQ dos Vingadores seja retirada da Bienal

Cruzada das Crianças tem o casal Wiccano e Hulkling como personagens centrais

Prefeitura do Rio determina que HQ dos Vingadores seja retirada da Bienal

Alegando conteúdo impróprio para menores, a prefeitura do Rio de Janeiro determinou que a edição encadernada de Vingadores: A Cruzada das Crianças fosse recolhida da Bienal do Livro, que acontece até o dia 8 de setembro.

De acordo com o governo municipal, a HQ apresenta “conteúdo sexual para menores”e deve ser lacrada com plástico preto, com um aviso do lado de fora – veja abaixo o vídeo do prefeito Marcelo Crivella:

Vingadores: a Cruzada das Crianças, escrita por Allan Heinberg e publicada originalmente em 2010, tem como personagens centrais o casal abertamente homossexual, Wiccano e Hulkling, que aparece abraçado e dividindo a mesma cama em algumas páginas.

O recolhimento foi anunciado após discurso do vereador Alexandre Isquierdo (DEM) na Câmara Municipal do Rio, na última quarta (4), em que o político ataca a publicação como uma “covardia” às crianças e chama os colegas de Câmara a assinarem uma carta de repúdio contra MarvelPaniniSalvat, todas responsáveis pela publicação da revista em diferentes momentos.

[Atualização 05/09 às 23:19]Bienal Internacional do Livro Rio se posicionou oficialmente sobre o recolhimento do encadernado, reafirmando a pluralidade do evento e reforçando o direito dos consumidores de trocarem livros cujos conteúdos não agradem – leia o comunicado abaixo:

A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+.

A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor.

A organização da Bienal ainda divulgou a programação de três painéis voltados para a literatura LGBTQA+. No Café Literário, com participação João Silvério Trevisan (Companhia das Letras), Jaqueline Gomes de Jesus (Metanoia) e Tobias Carvalho (Record), acontecerá a mesa “Diversidade, substantivo plural“, às 17h do dia 7 de setembro.

Também no dia 7, às 11h, o debate “Feminismo x Machismo” acontecerá com o youtuber Spartakus SantiagoMel DuarteEllora, tendo Claudia Sardinha como mediadora. Às 19h, a mesa “Literatura Arco-Íris” será mediada pelo autor e cineasta Felipe Cabral e contará com Lucas RochaVitor MartinsIgor PiresThati Machado, Vinicius GrossosPedro HMC. A última mesa da Arena #SemFiltro da Bienal acontece às 19h do dia 8 de setembro. Felipe Cabral mediará a conversa “Literatura Trans“, que contará com Laísa MarilacNana QueirozTarso BrantNatalia TravassosAmora Moira.

[Fim da atualização]

Resta 1 dia, menos de 24 horas para você apostar e concorrer a 95 MILHÕES

A Lotofácil de independência vai sortear 95 MILHÕES!!

A sua chance de mudar de vida.

 

Adquira o simulador que vai te dar os números

Acesse o link abaixo para saber os detalhes

 

http://bit.ly/2UgSoer

 

Link Checkout

http://bit.ly/2ZwGbYZ