Arquivo da tag: Rock

Dia do Rock | 11 álbuns que moldaram o rock n’ roll atual

Discos lançados pós-anos 90 que formaram a sonoridade de hoje

Dia do Rock | 11 álbuns que moldaram o rock n' roll atual

O mês do rock sempre é momento de relembrar os álbuns que formaram o gênero. E embora bandas como The Jimi Hendrix ExperienceBeatles, King CrimsonThe Clash ou Ramones tenham sido absolutamente essenciais para criar o som que ouvimos hoje, o rock mudou muito desde os anos 90, e existe toda uma leva de bandas mais recentes sem as quais o rock não seria o mesmo. 

Por isso, resolvemos homenagear os álbuns que moldaram o rock dos últimos anos, reunindo os trabalhos mais importantes lançados desde 1990:

SONIC YOUTH – GOO (1990)

Em 1990, o Sonic Youth lançou o seu primeiro álbum em uma grande gravadora, Goo, o trabalho que trouxe mais melodia às guitarras do grupo e elevou a sonoridade do rock alternativo ao mainstream. Pode ser que seu antecessor, Daydream Nation, tenha criado o solo para a disseminação do rock sujo, mas foi o garage-punk rock de Goo que abriu espaço para a explosão de bandas essenciais que estavam por vir, como Nirvana

NIRVANA – NEVERMIND (1991)

Com a recomendação de Kim Gordon do Sonic Youth, o Nirvana assinou com a gravadora Geffen Records para o lançamento de seu segundo álbum de estúdio, Nevermind. Absolutamente necessário nas listas dos álbuns mais importantes do rock, Nevermind estabeleceu o sucesso comercial do rock alternativo e do grunge, além de ser responsável pelo movimento musical que sairia de Seattle. Mais que isso, Nevermind é visto como uma mudança de geração no rock, que agora não se basearia mais no som dos anos 50.

METALLICA – METALLICA (1991)

Sempre presente entre as bandas mais influentes do rock, em 91 o Metallica se reinventou e dividiu opiniões com o lançamento do seu quinto álbum, auto-intitulado e conhecido como o Black Album. Apesar de fãs acusarem a banda de ter se vendido para chegar ao público geral, a importância do Black Album está exatamente nisto; ele elevou o heavy metal do submundo ao mainstream, tornando o som pesado radiofônico e comercialmente bem-sucedido. 

RAGE AGAINST THE MACHINE – RAGE AGAINST THE MACHINE (1992)

Em 1992 foi a vez de Zack de la RochaTom MorelloTim Commerford e Brad Wilk revolucionarem o rock, com o lançamento de seu álbum de estreia, Rage Against The Machine. Com um dos discos mais políticos dos anos 90, o RATM surpreendeu a indústria musical com um álbum violento e poderoso que cimentou o gênero rap metal, sem o qual muitas bandas do início dos anos 2000 não existiriam.

GREEN DAY – DOOKIE (1994)

Existe um elemento crucial frequente na justificativa da maioria dos álbuns que mudaram a forma do rock, e é elevar um gênero ao mainstream. Nos anos 90, quem fez isso com o punk rock foi o Green Day em seu terceiro álbum, Dookie. Além de abrir portas ao pop punk que explodiria pouco depois, um dos legados do Dookie foi distanciar o som da guitarra do pesado e do grunge, mostrando que o instrumento poderia estar presente de modo mais limpo, influenciando bandas como Weezer ou Wallflowers. 

SEPULTURA – ROOTS (1996)

Um dos modos de julgar a relevância de um álbum para criar um gênero é a frequência com a qual ele é citado como influência para outras bandas. Neste quesito, Roots do Sepultura é um dos discos mais importantes na lista. O sexto álbum de estúdio da banda, que até então era liderada por Max Cavalera, se baseou na sonoridade que nascia com o Korn para estabelecer o nu metal e servir como influência tanto para o thrash quanto para o novo gênero que surgia, e mais tarde explodiria com Limp Bizkit e Papa Roach. Roots também é essencial por criar uma fusão do metal com elementos do país do qual saiu, no caso do Sepultura, uma percussão tribal característica.

RADIOHEAD – OK COMPUTER (1997)

Quando se fala sobre os álbuns mais importantes do anos 90, um que nunca fica de fora é OK Computer, o terceiro álbum do Radiohead, lançado em 97. O melancólico disco trouxe de volta o poder dos álbuns conceituais e se aproveitou da queda do britpop para criar uma nova sonoridade do som inglês. OK Computer trouxe a experimentação e a complexidade de volta ao rock, influenciando tanto em sonoridade quanto temática, e permitindo que o som depressivo dominasse novamente.

LINKIN PARK – HYBRID THEORY (2001)

O Rage Against The Machine cimentou o rap metal e o Sepultura estabeleceu o nu metal, mas o filho dos dois gêneros, Linkin Park, estourou em 2001 com um álbum que marcaria os anos 2000 como um de seus maiores símbolos, o Hybrid Theory. Fundindo a sonoridade do metal e hip hop com elementos eletrônicos e reinventando a imagem de frontmen, os vocalistas Chester Bennington e Mike Shinoda conquistaram o álbum de rock mais vendido do século 21.

THE STROKES – IS THIS IT (2001)

O ano de 2001 também foi marcado por uma outra revolução no rock n’ roll, iniciada pelo The Strokes com o seu álbum de estreia, Is This It. Desde o lançamento do álbum que trouxe “Last Nite” e “Hard To Explain”, o rock ganhou uma nova legião de seguidores e se reinventou desde a sonoridade da guitarra até a moda do jeans skinny, ganhando herdeiros do indie em nomes como The Libertines, Franz Ferdinand e Kings of Leon. 

THE WHITE STRIPES – ELEPHANT (2003)

Frequentemente, o álbum de uma banda que marca a história é a sua estreia em uma grande gravadora, e o White Stripes não é exceção à regra. Enquanto Elephant é mais contido e mais comercial do que seus ótimos antecessores, ele se tornou o maior exemplo do poder da guitarra de Jack White e estabeleceu o retorno do amor pelo rock e blues puro, negando influências de hip-hop ou eletrônico. O toque de nostalgia no som de Jack White estabeleceu uma nova sonoridade nos anos 2000 e criou patamar para o retorno da importância dos riffs, fazendo de “Seven Nation Army” um dos ícones dos anos 2000.

THE KILLERS – HOT FUSS (2004)

Desviando do som pesado, o The Killers chegou em 2004 para levar a sonoridade do rock para um outro lado, influenciando o que se tornaria o rock eletrônico e dominaria a sonoridade atual. Hot Fuss, o álbum de estreia da banda de Brandon Flowers, explodiu com hits como “Somebody Told Me” e “Mr. Brightside”, faixas que unem o som do new wave e o indie rock com uma extravagância do pop, redefinindo o que é o rock mainstream hoje em dia.

8 HQs para ler no Dia Mundial do Rock

Ratos de Porão, Beatles e mais

8 HQs para ler no Dia Mundial do Rock

Em julho é comemorado o Dia Mundial do Rock, e para comemorar vamos relembrar HQs que prestam homenagem a esse gênero musical que está longe de morrer. Confira abaixo 8 quadrinhos para ler no volume máximo:

BLUES

Como a principal raiz do rock é o blues, nada mais justo do que começar a celebração com uma HQ que presta homenagem a esse gênero. Blues é uma antologia escrita e desenhada por Robert Crumb, quadrinista referência na contra-cultura dos quadrinhos norte-americanos. Lançada pela Conrad em 2004, a publicação reúne não só as histórias sobre o tema, como também traz ilustrações que o Crumb produziu para bandas no mundo real, como cartazes de shows e capas de álbuns. O mais famoso trabalho do quadrinista fora das HQs é justamente a capa do álbum Cheap Thrills, de Janis Joplin.

NOTAS DO UNDERGROUND

Notas do Underground é uma compilação de histórias curtas que abordam diversas situações da cena de rock independente. Escrita e desenhada por Pedro D’Apremont, a HQ imagina diversas situações que vão desde dois garotos que tomam um porre com uma banda após assistir ao show até um grupo de black metal que se perde na floresta durante a gravação de um clipe. Originalmente publicada pela versão norte-americana da Vice entre 2017 e 2018, o quadrinho foi lançado no Brasil pela Pé de Cabra no início de 2019

O QUINTO BEATLE – A HISTÓRIA DE BRIAN EPSTEIN

O Quinto Beatle é uma biografia em quadrinhos de Brian Epstein, o empresário que tornou os Beatles uma febre mundial. A HQ de Vivek J. TiwaryAndrew C.  Robinson e Kyle Baker narra a trajetória de Epstein intercalando suas dificuldades enquanto homossexual durante o período em que a união de casais do mesmo sexo era crime na Inglaterra, simultaneamente à seu trabalho para transformar os fab four em um fenômeno. Brian é um dos grandes responsáveis pela Beatlemania, pensando em pequenos detalhes que ajudaram a construir a identidade do grupo.

RED ROCKET 7 – A SAGA DO ROCK

Red Rocket 7 é um clone alienígena que chega à Terra na década de 1950 e graças à sua paixão por música acaba testemunhando de perto a evolução do rock and roll, desde sua origem no blues, passando por BeatlesLed Zeppelin e David Bowie até os anos 90 com a explosão de Nirvana e Oasis. Escrita e desenhada por Mike AllredRed Rocket 7 – A Saga do Rock é uma carta de amor à toda a cultura do rock com uma forte veia sci-fi.

RDP COMIX

Lançada originalmente na década de 1990, RDP Comix é o resultado da união entre a banda Ratos de Porão e Francisco Marcatti, quadrinista conhecido por suas histórias carregadas de humor absurdo e escatológico. O primeiro volume é composto por adaptações para quadrinhos de canções do Ratos, como “Vídeo Macumba”, que tem participação de outros grandes nomes do rock como Max Cavalera (Sepultura) e Mike Patton (Faith No More), enquanto o segundo conta desventuras da banda. Esse material icônico foi relançado de forma independente por Marcatti em 2016 e 2018 em edições comemorativas.

MALCOLM

Malcolm McLaren escreveu seu nome na história do punk rock graças ao seu trabalho como empresário dos Sex Pistols. Além de apresentar os membros da banda, McLaren é relembrado por arquitetar a famosa apresentação do grupo no Rio Tâmisa, onde apresentaram canções como “Anarchy In The UK” do lado de fora da Casa do Parlamento Britânico durante as celebrações do jubileu de prata da Rainha Elizabeth II. Em 1995, Malcolm McLaren visitou o Brasil e concedeu uma entrevista de quase uma hora para Fabio Massari, que transformou o material em Malcolm, uma HQ ilustrada por Luciano Thomé que reproduz a conversa na íntegra com um vistoso trabalho visual que ilustra as polêmicas histórias do empresário.

MAGNÉTICOS 90

Conhecido por seu trabalho como letrista, guitarrista e vocalista do AutoramasGabriel Thomaz tem o hábito de conhecer bandas novas e divulga-las. Para isso, o músico passou a colecionar fitas-demo e gravações independentes que serviram de inspiração para Magnéticos 90, uma HQ que relembra o período da cena independente durante a década de 1990. Desenhada por Daniel Juca, a publicação faz um registro que vai desde a formação das bandas importantes para o rock nacional como Planet Hemp e Los Hermanos até a criação da MTV Brasil.

PUNK ROCK JESUS

Publicada pelo selo VertigoPunk Rock Jesus conta a história de uma emissora de TV que decide clonar Jesus Cristo para um reality show. Alegando ter acesso a material genético presente no Santo Sudário, a emissora inicia o projeto J2, que não só mostraria o nascimento da criança mas todo o seu crescimento nos dias atuais. Quando chega à adolescência, Chris passa a entender a gravidade do que acontece à sua volta e após um trágico acontecimento decide abandonar o “programa” e se dedicar aos banda Flak Jackets, sua banda de rock, onde pode descarregar todas as suas frustrações. A HQ é escrita e desenhada por Sean Murphy (Batman: Cavaleiro Branco), que aborda fanatismo religioso, faz críticas ao poder da mídia sensacionalista e promove uma reflexão a respeito do significado de uma família em uma trama regada à punk rock.

CPM 22 | Japinha deixa a banda após revelação de conversa com fã de 16 anos

Baterista entrou na banda quatro anos após sua formação

CPM 22

O CPM 22 anunciou hoje, dia 10, a saída de seu baterista Japinha, que esteve na banda durante 21 anos. O movimento aconteceu logo após a página Exposed Emo ter revelado uma conversa do músico com uma garota de 16 anos, que aconteceu em 2012. 

View this post on Instagram

Comunicado

A post shared by CPM 22 (@cpm22) on

A conversa, que teve autenticidade confirmada pelo próprio Ricardo Di Roberto, conhecido também como Japinha, ao site G1, mostra o músico parecendo querer marcar um encontro com a fã menor de idade. O baterista, no entanto, descreveu a troca de mensagens como “brincadeira” e disse ter consultado com diferentes advogados e constatado que não há conteúdo criminoso.

Antes do anúncio da saída da banda, Japinha também se pronunciou no Instagram, dizendo que “jamais agiria com o intuito de machucar alguém, seja física ou psicologicamente”.

Ricardo Di Roberto entrou no CPM 22 em 1999, quatro anos após a formação da banda em 1995. Com ele, o CPM 22 lançou seus sete álbuns de estúdio.

Nightwish apresenta versão acústica de Nemo, de 2004

Vocalista Floor Jensen e Troy Donockley tocaram canção em estúdio para divulgar chegada de novo disco

Com um novo álbum de estúdio chegando em 10 de abril, o Nightwish fez uma apresentação acústica para o canal da rádio britânica Planet Rock. Na sessão, Floor Jensen e Troy Donockley tocaram “Nemo”, um dos primeiros sucessos da banda, lançado no álbum Once, de 2004 – assista acima.

A apresentação faz parte da divulgação do novo álbum duplo da banda, Human. :II: Nature., que será lançado em abril. O primeiro disco será formado por nove canções, enquanto o segundo conterá uma longa música dividida em oito capítulos (via Rockbizz).

Human. :II: Nature. será o nono disco da banda finlandesa e o primeiro desde 2015.

Novo álbum do Foo Fighters foi gravado em casa mal assombrada, diz Dave Grohl

Vocalista explica que gravação foi tomada por eventos bizarros

Dave Grohl, do Foo Fighters (via Ethan Miller/AFP)

O próximo álbum do Foo Fighters ainda não foi lançado mas já tem uma curiosa história. Segundo o vocalista Dave Grohl, as gravações foram assombradas por fantasmas da casa que alugaram em Encino, na Califórnia, para usar de estúdio: “Assim que entramos na casa em Encino, sabíamos que tinha uma energia errada, mas a música estava boa. Começamos a trabalhar lá e não demorou muito para que coisas começassem a acontecer. [via NME].

Grohl explica que a presença do local atrapalhou o progresso da banda: “Quando voltamos ao estúdio no dia seguinte, todas as guitarras estavam desafinadas, e as configurações estavam zeradas. Nós abríamos o Pro Tools e as faixas estavam faltando. Havia apenas alguns sons no software, que não fomos nós que colocamos, como barulhos estranhos de microfone. Ninguém tocando um instrumento ou algo do tipo, apenas um microfone gravando o ambiente. Tentamos investigar esses sons mas não percebemos vozes nem nada decifrável. Algo estava acontecendo.”<br>

O que aparentemente confirmou a teoria para a banda foi que, assim como em um filme de terror, eles posicionaram câmeras para acompanhar eventos bizarros. “No começo não havia nada, mas quando estávamos começando a nos sentir ridículos e insanos, vimos coisas inexplicáveis nas câmeras”. Após isso, Grohl conta que investigou a locação e descobriu uma história de acontecimentos horrendos na casa, mas teve de assinar um termo de confidencialidade, já que o dono está tentando vender a propriedade.

Por enquanto, não há informações sobre o título do trabalho, ou quantas faixas terá. Sabe-se apenas que este é o décimo álbum de estúdio da banda norte-americana. O antecessor foi Concrete and Gold, de 2017.

Metallica oficializa adiamento de turnê pelo Brasil para dezembro

Turnê pela América do Sul passa por quatro cidades brasileiras

Metallica deve adiar turnê pelo Brasil para dezembro

A turnê brasileira do Metallica foi oficialmente adiada para dezembro por causa do coronavírus. Através de sua conta no Instagram, o grupo revelou que os shows da turnê sul-americana que aconteceriam em abril foram transferidos para dezembro. A publicação revela ainda que novas atualizações serão divulgadas na próxima semana. Confira abaixo:

“Os shows na América do Sul originalmente planejados para abril estão em processo de mudança para dezembro. Fiquem ligados para atualizações adicionais ao final desta semana.”

A turnê World Wired Tour deve passar por quatro cidades brasileiras: Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte. Ainda não se sabe se a abertura dos shows continuará sendo da banda Greta Van Fleet, que se apresentou no Brasil no Lollapalooza 2019. O álbum mais recente do Metallica, Hardwired… To Self-Destruct, foi lançado em 2016. Segundo o baixista Robert Trujillo, a banda não demorará tanto para lançar o próximo – saiba mais.

Efeito Coronavírus na cultura pop

O COVID-19 é uma nova mutação da família coronavírus que está se espalhando em ritmo alarmante desde dezembro de 2019. A China foi o primeiro país vítima da epidemia, com infecções e mortes confirmadas em todas as suas províncias. Desde então, a presença do vírus foi confirmada em quatro continentes – incluindo a América do Sul, com casos no Brasil, Argentina e Chile.

Filmes como 007 – Sem Tempo Para MorrerVelozes e Furiosos 9Um Lugar Silencioso 2MulanNovos Mutantes entre outros, tiveram suas estreias adiadas por causa da pandemia. Entre 13 e 15 de março, os Estados Unidos registraram sua pior arrecadação em 20 anos nas bilheterias.

Metallica deve adiar turnê pelo Brasil para dezembro

Turnê pela América do Sul passa por quatro cidades brasileiras

Metallica deve adiar turnê pelo Brasil para dezembro

A turnê brasileira do Metallica deve ser adiada para dezembro, é o que diz o jornalista José Norberto Flesch, em sua coluna no Yahoo. Ainda não há uma confirmação oficial do Metallica ou dos organizadores dos shows, previstos originalmente para abril.

Segundo o jornalista, as novas datas ainda permanecem em segredo. Por enquanto, o site Eventim ainda vende ingressos para as apresentações em abril. 

A turnê World Wired Tour deve passar por quatro cidades brasileiras: Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte. Além disso, a abertura dos shows será da banda Greta Van Fleet, que se apresentou no Brasil no Lollapalooza 2019.

O álbum mais recente do Metallica, Hardwired… To Self-Destruct, foi lançado em 2016. Segundo o baixista Robert Trujillo, a banda não demorará tanto para lançar o próximo – saiba mais.

Efeito Coronavírus na cultura pop

O COVID-19 é uma nova mutação da família coronavírus que está se espalhando em ritmo alarmante desde dezembro de 2019. A China foi o primeiro país vítima da epidemia, com infecções e mortes confirmadas em todas as suas províncias. Desde então, a presença do vírus foi confirmada em quatro continentes – incluindo a América do Sul, com casos no Brasil, Argentina e Chile.

Filmes como 007 – Sem Tempo Para MorrerVelozes e Furiosos 9Um Lugar Silencioso 2MulanNovos Mutantes entre outros, tiveram suas estreias adiadas por causa da pandemia. Entre 13 e 15 de março, os Estados Unidos registraram sua pior arrecadação em 20 anos nas bilheterias.

Led Zeppelin vence disputa por direitos autorais de “Stairway to Heaven”

Decisão favorável no caso de plágio que já dura anos

Led Zeppelin vence disputa por direitos autorais de Stairway to Heaven

O Led Zeppelin obteve uma grande vitória na disputa judicial envolvendo os direitos autorais da clássica “Stairway to Heaven”, informou o The Wrap. A banda foi acusada de plagiar a canção “Taurus”, do Spirit, lançada em 1967.

A decisão do jurí da 9ª Corte de Apelações dos Estados Unidos foi favorável ao Led Zeppelin, corroborando outra decisão similar tomada em 2016.

A disputa pela autenticidade de “Stairway to Heaven” gira em torno dos acordes iniciais da música, que teriam sido roubados de “Taurus”, do Spirit. Em 2016, o advogado Francis Malofiy, que representa a acusação, foi impedido de tocar uma gravação da música do Spirit para o jurí e por isso solicitou o novo julgamento neste ano. O advogado diz que o Led Zeppelin venceu novamente “por uma tecnicalidade e não pelo mérito da causa“. Segundo Malofiy, a disputa não terminou e pode seguir até a suprema corte norte-americana.

“Stairway to Heaven” é reconhecida como uma das faixas mais regravadas da história do rock e tem valor estimado em mais de U$ 560 milhões.

Veja abaixo vídeo comparando as duas músicas:

Dave Mustaine, vocalista do Megadeth, revela estar curado do câncer

Músico estava em tratamento desde junho de 2019

Dave Mustaine, do Megadeth (via Jesse Grant/AFP)

Após mais de seis meses em tratamento, Dave Mustaine revelou estar completamente curado do câncer. O anúncio foi feito durante um show do Megadeth no final de janeiro, em que o vocalista relembrou sua luta e explicou o processo necessário para a sua melhora [via Tenho Mais Discos que Amigos].

Foram 51 tratamentos de radiação e nove tratamentos de quimioterapia. E quando tudo estava resolvido, eu pensava ‘Não posso lidar com a possibilidade de nunca mais tocar’. Eu rezava. Eu rezo todos os dias. Mas eu também pensei em vocês todos os dias”, falou para a plateia. “E eu pensei na minha família, e recebi essa energia de vocês. Ai no dia 16 de outubro, fui ao médico e ele me disse ‘Você está 100% livre do câncer’”, revelou.

Mustaine havia sido diagnosticado com câncer na garganta em junho de 2019. Na época havia afirmado ter 90% de chance de recuperação, mas mesmo assim cancelou as vindouras apresentações do Megadeth – incluindo shows no Brasil. Agora, o vocalista e guitarrista deve retomar normalmente suas funções.

Dystopia, o 15º álbum do Megadeth, foi lançado em 2016.

Rock & Roll Hall of Fame 2020 terá Whitney Houston, Nine Inch Nails e mais

Organização anunciou lista de vencedores para a edição deste ano

Trent Reznor, do Nine Inch Nails, em Twin Peaks: The Return

Após meses de votação, o Rock & Roll Hall of Fame revelou a lista de artistas que irão entrar para o Hall da Fama em 2020: Whitney Houston, Nine Inch NailsDepeche ModeThe Notorious B.I.G., T.Rex e The Doobie Brothers foram os escolhidos [via The Wrap].

O processo de votação começou em outubro de 2019, e foi aberto para fãs e também mais de mil profissionais da indústria musical. Bandas se tornam elegíveis ao Rock & Roll Hall Of Fame 25 anos após o lançamento de seu primeiro trabalho. Dentre os nomes que ficaram de fora estão Motorhead, Judas Priest, Kraftwerk e mais – veja todos os pré-selecionados aqui. Alguns dos vencedores já haviam ido para a lista preliminar antes: tanto o Nine Inch Nails quanto o Depeche Mode haviam sido indicados três vezes antes de enfim serem selecionados.

A cerimônia de introdução ao Rock and Roll Hall of Fame 2020 acontece em 2 de maio em Cleveland, nos Estados Unidos.