Marvel | X-Men e Quarteto Fantástico devem demorar para aparecer no MCU, diz Kevin Feige

Presidente da Marvel Studios diz que filmes estão planejados até 2019

Marvel Comics/Reprodução
 - Marvel Comics/Reprodução

Kevin Feige falou sobre a compra da Fox pela Disney – que agora poderá incluir personagens como X-Men, Deadpool e Quarteto Fantástico no Universo Cinematográfico da Marvel. Segundo o presidente da Marvel Studios, ainda não há planos para utilização dos heróis e eles ainda vão demorar para aparecer (Via Vulture).

“Seriam anos no futuro. Nós anunciamos tudo [que vamos fazer] até 2019, então nada disso será ajustado”, afirmou Feige. “Espero entregar tudo que prometemos até agora”, completou.

Após semanas de negociações e notícias, a The Walt Disney Company anunciou em dezembro a compra de algumas divisões da 21st Century Fox. No comunicado oficial, as empresas confirmam que o acordo inclui a Twentieth Century Fox FilmFox Searchlight PicturesFox 2000, os estúdios de TV, junto com os negócios internacionais de TV a cabo. O valor aproximado da negociação é de US$ 52.4 bilhões. A Disney afirma no texto que a compra possibilitará a criação de mais conteúdos, possivelmente para seu serviço de streaming, que tem lançamento previsto para 2019 – leia mais.

Vingadores: Guerra Infinita chega em 26 de abril de 2018 e Vingadores 4 tem estreia marcada para 2 de maio de 2019.

Anúncios

Watchmen | Diretora de The Leftovers e Westworld deve comandar piloto da série

Programa ainda não tem data de estreia

Divulgação/DC Comics -

A direção do piloto da série de Watchmen parece ter sido definida. De acordo com o DeadlineNicole Kassell foi escolhida por Damon Lindelof, showrunner do futuro programa, para comandar o episódio de estreia.

Kassell dirigiu dois episódios de The Leftovers, que é um dos principais trabalhos de Lindelof. Além disso, ela trabalhou em dramas como Westworld e The Americans.

Segundo Casey Bloys, presidente da emissora, Lindelof está criando um material novo, que não está no universo da HQ. “Damon é um dos roteiristas mais inteligentes, apaixonados e aplicados com quem já trabalhei, então ele está pensando em coisas fantásticas. Mais uma vez, não quero falar sobre os detalhes, mas quando você conversa com ele e entende como sua mente funciona, é realmente incrível”.

O projeto não terá nenhuma ligação com o filme de 2009, dirigido por Zack Snyder. As filmagens da série devem começar em abril.

Publicada pela primeira vez no final da década de 80, Watchmen foi criada por Alan Moore e contou com desenhos de Dave Gibbons. Considerado um clássico dos quadrinhos e da literatura, boatos sobre uma possível série surgiram pela primeira vez em 2015.

Multishow exibirá episódios inéditos de Chaves e Chapolin

Globosat adquiriu pacote com todos os episódios das duas séries

SBT/Divulgação
 - SBT/Divulgação

Globosat anunciou, nesta terça-feira (30), que adquiriu um pacote com todos os episódios de Chaves e Chapolin, incluindo 244 histórias inéditas. Agora, as duas séries serão exibidas, na TV por assinatura, no canal Multishow. Em entrevista ao UOL, o diretor-geral Guilherme Zattarafirmou que os novos episódios já começaram a ser dublados. “Estamos avaliando se vamos fazer uma nova dublagem dos episódios antigos.”

No ar há mais de 30 anos no SBT, as produções continuarão a ser exibidas na TV aberta normalmente. Porém, agora a Globosat tem mais episódios do que a emissora do Silvio Santos, que transmite somente histórias filmadas entre 1972 e 1979 e 1987 e 1992.

MIS fará megaexposição com retrospectiva da história dos quadrinhos

Evento começará no dia 13 de novembro

Divulgação/DC Comics/Exposição MIS
 - Divulgação/DC Comics/Exposição MIS

O Museu de Imagem e Som (MIS), em São Paulo, apresentará a megaexposição Quadrinhos, que apresentará uma ampla retrospectiva da 9ª arte contada através de revistas, artes originais e itens raros dos diversos gêneros das HQs – super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste e muitos outros.

Com curadoria de Ivan Freitas da Costa, sócio-fundador da CCXP e da Chiaroscuro Studios, a exposição contará com ambientes temáticos imersivos que ocupam todas as áreas do Museu, apresentando também a influência das HQs na cultura pop e em outras mídias como cinema, rádio e TV.

O evento também conta com uma extensa programação paralela com diversas atividades para adultos e crianças, incluindo curso, oficina, cinema e bate-papo com artistas.

A exposição começa no dia 13 de novembro de 2018 e ficará em cartaz até o dia 24 de fevereiro de 2019.

Birthright | A HQ vai virar filme em Hollywood e não conseguimos editora no Brasil, diz desenhista da série

Andrei Bressan, em entrevista exclusiva ao site Omelete, fala sobre adaptação da HQ aos cinemas

Divulgação/Image Comics
 - Divulgação/Image Comics

Você provavelmente não conhece Birthright, mas a HQ é um sucesso nos EUA e é considerada uma das mais inventivas e diferentes histórias dos últimos anos – tanto é que a obra deve ganhar um filme em breve com produção da Universal (leia mais). O quadrinho ganhou espaço em diversos países, com publicações em locais como França, Itália, Alemanha e Espanha e apesar do expansão no exterior e a futura adaptação em Hollywood, ele ainda não conseguiu espaço aqui no Brasil, terra justamente do desenhista Andrei Bressan, que criou a HQ ao lado do roteirista Joshua Williamson.

“Levei pessoalmente cópias do gibi para várias editoras brasileiras e quem sabe agora elas não se animam? Eu adoraria ver o Birthright saindo por aqui! Sério! Tem tudo pra agradar o nosso público. Birthright, assim como várias outras criações que estão circulando, incorpora uma série de referências, especialmente daquele formato de aventura que víamos nos anos 80”, afirma Bressan em entrevista exclusiva ao site Omelete.

A obra foca em Mikey, um garoto que acaba transportado para um mundo mágico onde vive por anos, cresce até virar um poderoso guerreiro e acaba tornando-se um herói. Porém, no mundo real seu desaparecimento foi um grande choque para sociedade o que levou sua família a separação e seu pai chegou, inclusive, a ser acusado de matá-lo. Agora, ele está de volta e, um ano após seu sumiço ter acontecido, precisa provar sua identidade enquanto transita entre os dois mundos.

“Birthright apresenta uma resposta de Joshua Williamson sobre o que acontece depois que a aventura acaba e o ‘herói’ volta pra casa. Baseado nessa pergunta, ele desenvolve esse retorno de Mikey e boa parte do suspense é tentar descobrir o que aconteceu com o garoto”, explica.

Segundo Bressan, ele e Williamson passaram um bom tempo discutindo e desenhando até chegarem a uma rima visual que fizesse sentido pra quem conhece o gênero fantasia, tentando evocar elementos tradicionais do genêro, mas trocando algumas coisas de lugar. “Criar esse universo é um trabalho constante… no início fizemos alguns testes, procuramos algumas faces e direções. Mas a medida que o trabalho começa, passamos a criar ao longo da série. Sabemos que esse universo tem que ter algo de terror e encanto. Promessa de vida e decadência”, explicou.  

Agora, a publicação vai chegar aos cinemas e Bressan está ansioso para ver como o trabalho ficará nas telonas. Além disso, ele espera que o filme ajude finalmente a divulgar o quadrinho no Brasil. “Dá pra dizer que ‘sou desenhista e quero service, p****?’ Sabemos que o caminho é longo, mas o desejo de ver esse filme acontecendo é muito alto. Bota ansiedade nisso! Não via a hora de soltar a notícia e poder trazer mais brasileiros pra série. A sensação, em um português bem claro, é Ducara***”. 

Mark Salling, conhecido como o Puck de Glee, é encontrado morto aos 35 anos

Autoridades consideram possibilidade de suicídio

 -

Mark Salling, que deu vida ao personagem Puck na série Glee, morreu aos 35 anos. De acordo com o TMZ, as autoridades dizem que o ator cometeu suicídio. O corpo de Salling foi encontrado em um rio em Sunland, nos Estados Unidos, próximo da região onde ele morava.

Em 2017, Salling assumiu culpa pela posse de mais de 50 mil imagens de pornografia infantil nos computadores pessoais do ator e era esperado, como parte de um acordo, que ele fosse condenado a cumprir de quatro a sete anos de prisão. A sentença final seria dada pelo juiz em março deste ano.

Além do tempo preso, o ator ficaria ainda mais 18 anos sendo supervisionado pelas autoridades – ele seria proibido de acessar locais como parques, piscinas públicas, playgrounds ou qualquer outro lugar freqüentado por pessoas com menos de 18 anos.

De acordo ainda com o TMZ, antes mesmo de assumir a culpa, Salling já havia tentado se matar. Em agosto de 2017, o ator cortou os dois pulsos e foi socorrido por um amigo, que chamou uma ambulância. Salling foi levado para avaliação psiquiátrica e, dias depois, foi levado a uma instalação de reabilitação para problemas psicológicos.

Salling é o segundo ator de Glee a morrer precocemente. Cory Monteith, conhecido por interpretar Finn Hudson na série de TV, foi encontrado morto em um quarto do hotel Fairmount Pacific Rim em Vancouver, no Canadá, em 2013. Na época, a série ainda estava no ar e o ator havia se submetido voluntariamente a um tratamento de desintoxicação por abuso de drogas poucos meses antes – saiba mais.

Criada por Ryan Murphy, a série musical foi exibida pela Fox entre 2009 e 2015. A atração acompanhava um grupo de adolescentes socialmente excluídos que estudavam no William McKinley High School e encontravam refúgio no coral organizado por um professor sonhador. No elenco da série estiveram nomes como Lea MicheleDarren CrissMatthew Morrison eJane Lynch.

Bilheteria USA

Depois de ficar quatro fins de semana em primeiro lugar na bilheteria americana, Jumanji: Bem-Vindo à Selva perdeu o posto para a estreia de Maze Runner – A Cura Mortal. O terceiro filme da série, que encerra a adaptação ao cinema dos livros de James Dashner, é a única estreia de peso neste fim de semana de 26 a 28 de janeiro, e deu à Fox o primeiro lugar, com US$ 23,5 milhões.

Em cartaz em 3.700 cinemas, A Cura Mortal ficou atrás, porém, dos outros dois longas da série; o primeiro fez US$32,5 milhões na estreia em 2014 e Maze Runner 2 arrecadou US$30 milhões no primeiro fim de semana, em 2015. O terceiro filme coloca Thomas e seus aliados em direção à cidade onde a CRUEL mantém Minho preso.

Apesar da queda, a Sony não tem o que lamentar em relação a Jumanji. Com os US$16,4 milhõesarrecadados neste fim de semana, o filme agora soma US$335 milhões nos EUA em 40 dias, e acaba de ultrapassar a arrecadação de Homem-Aranha – De Volta ao Lar no país.

O novo longa acompanha quatro jovens que encontram um antigo videogame com o jogo de Jumanji. Ao ligarem e escolherem um personagem, eles são transportados para a floresta. O nerd da turma entra no corpo de Dwayne Johnson, enquanto a jovem mais popular fica na pele de Jack Black. O elenco principal conta ainda com Kevin Hart e Karen Gillan. O filme está em cartaz no Brasil. Leia a crítica de Jumanji.

Hostiles, faroestre estrelado por Christian Bale, ficou com a terceira posição, com US$10,2 milhões, depois de ter estreado antes do Natal em apenas três cinemas e ter expandido seu circuito neste fim de semana para 2.800 cinemas.

Situado em 1892, o filme conta a história de um lendário capitão do exército (Bale), que concorda em escoltar um chefe da tribo Cheyenne e sua família de volta para suas terras. Durante a perigosa jornada, que vai do Novo México até Montana, eles encontram uma jovem noiva que teve sua família inteira assassinada. Juntos, os três unem forças para terminar o percurso. Rosamund PikeBen FosterStephen Lang e Jesse Plemons também estão no elenco. Hostiles ainda não tem previsão de estreia no Brasil – assista ao trailer:

A quarta posição ficou com O Rei do Show, que depois de seis fins de semana tem se mostrado resistente na bilheteria e subiu uma posição em relação ao fim de semana anterior, com uma queda de apenas 10%. O longa arrecadou mais US$9,5 milhões. Assim, o musical estrelado por Hugh Jackman totaliza US$ 126 milhões localmente.

O Rei do Show é a cinebiografia do apresentador P.T. Barnum, interpretado por Jackman. Nascido em Connecticut, em 1810, Barnum começou a trabalhar com shows de variedades em Nova York, em 1834. Ficou famoso por sua facilidade para atrair uma plateia ingênua e por criar um novo formato de circo itinerante, sob um picadeiro, com tipos bizarros e animais exóticos, que Barnum nada humildemente chamava de “O Maior Show da Terra”. O longa já está em cartaz no Brasil.

A quinta posição ficou para The Post – A Guerra Secreta, filme de Steven Spielberg sobre o escândalo do dossiê do Pentágono sobre o envolvimento americano na Guerra do Vietnã. O filme, que custou US$ 50 milhões, fez US$ 8,8 milhões em seu sexto fim de semana em cartaz; até agora foram arrecadados US$58 milhões.

O filme usa como base o documento publicado em 1971 pelo The Washington Post com várias informações militares sigilosas sobre as ações dos EUA no Vietnã. O material foi vazado ao jornal pelo funcionário do Pentágono Daniel Ellsberg. Tom Hanks faz o papel de Ben Bradlee, enquanto Meryl Streepserá Key Graham. Ambos eram editores do jornal e desafiaram o governo americano publicando as informações. Carrie Coon, Sarah Paulson, Jesse Plemons, Alison Brie, Bradley Whitford e Bob Odenkirk também estão no elenco.

Confira abaixo o ranking estimado dos dez mais rentáveis do fim de semana (valores em milhões de dólares) nos EUA, segundo o BoxOfficeMojo. As estreias aparecem em amarelo:

Pos. Filme

Bilheteria
(26-28/1)

Bilheteria Total

Custo
1 Maze Runner – A Cura Mortal $23,50 $23,50 $62
2 Jumanji: Bem-Vindo à Selva $16,40 $338,05 $90
3 Hostiles
$10,20 $12,05
4 O Rei do Show $9,50 $126,47 $84
5 The Post – A Guerra Secreta $8,85 $58,53 $50
6 12 Strong $8,63 $29,75
7 Den of Thieves $8,36 $28,50
8 A Forma da Água $5,70  $37,67
9 As Aventuras de Paddington 2 $5,57  $32,02
10 Padmaavat $4,27 $4,78

Linkin Park | Mike Shinoda diz que banda continuará trabalhando

Vocalista fala com fãs no Twitter

O vocalista do Linkin ParkMike Shinoda, falou com os fãs no Twitter e foi questionado sobre o futuro da banda após o suicídio de Chester Bennington. Shinoda tranquilizou os fãs dizendo: “Eu tenho toda a intenção de continuar com o Linkin Park, e os outros caras se sentem do mesmo jeito. Temos muita reconstrução a fazer e perguntas a responder, então tomará tempo”. 

 

Shinoda lançou um EP solo na semana passada, Post Traumatic EP, junto com clipes para as três faixas do disco – veja aqui.

No último ano, marcado pela morte do também vocalista Chester Bennington, o Linkin Park lançou o álbum ao vivo, One More Light Live.

Sem Fôlego | Crítica

Todd Haynes adapta obra de Brian Selznick com sensibilidade e otimismo

A busca pela identidade e a vontade de pertencer são questões tipicamente humanas com as quais filósofos, artistas e pessoas comuns lidam cotidianamente desde que o mundo é mundo. Em Sem Fôlego, porém, Todd Haynes leva essas reflexões ao universo infantil, numa aventura simples e encantadora.

Baseado no livro homônimo de Brian Selznick, autor do aclamado A Invenção de Hugo Cabret, o filme conta, simultaneamente, as histórias de duas crianças com deficiência auditiva: enquanto Rose sofre com uma educação rigorosa longe da mãe na década de 1920, Ben vive a angústia de não saber quem é seu pai, nos anos 1970. Decididos a mudar suas vidas, eles vão sozinhos para Nova York atrás de respostas e vivem duas jornadas distintas até que, eventualmente, se encontram.

Com Selznick assinando o roteiro, era de se esperar que o desenrolar do filme não fosse se afastar muito da obra original. Mesmo assim, Haynes surpreende com a perspicácia com que recria a experiência do livro – narrado por ilustrações e prosa – na linguagem cinematográfica. Os desenhos, que funcionam quase como um storyboard para a produção, ganham a estética dos filmes mudos da década de 1920, explorando os efeitos sonoros e a dramaticidade exagerada. Já a busca de Ben assume traços mais próximos do que é comum aos filmes atuais. A transição entre os períodos nem sempre é fluida, mas isso não atrapalha a percepção do espectador de que as trajetórias dos protagonistas são quase que um espelho uma da outra, um dos pontos mais interessantes do filme.

Brincando com estes estilos, o diretor conduz as histórias das crianças com muita sensibilidade, sem tratá-las em nenhum momento de modo condescendente. Parte do motivo para que esse tom tenha sido atingido está no trabalho cuidadoso que fez com os jovens Millicent Simmonds (Um Lugar Silencioso), Oakes Fegley (Sete Dias Sem Fim) e Jaden Michael (The Get Down), que transparecem na tela a inocência e a curiosidade típicas da infância, assim como fez Carter Burwell na trilha sonora.

A trama evolui de forma linear, mas deixa pontos mal explicados, que causam estranheza dentro da história, como o motivo para que a identidade do pai do menino nunca tenha sido revelada. Do mesmo modo, o filme se perde em alguns momentos em questão de ritmo, ora se apressando, ora demorando tempo demais para avançar com a narrativa. Ainda assim, isto não prejudica o grande mérito do longa, isto é, o caráter humano da história, com a qual é fácil de se relacionar, independentemente da idade.

No final, assim como a citação na cabeceira da personagem de Michelle Williams, o longa deixa uma mensagem otimista ao espectador: “todos nós estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando para as estrelas”.

Sem Fôlego (2017)

(Wonderstruck)
  • País: Estados Unidos
  • Classificação: 10 anos
  • Estreia: 25 de Janeiro de 2018
  • Duração: 117 min.

Nota do crítico:4morangos(ÓTIMO)

Fall Out Boy atinge o topo da Billboard 200 com novo álbum, Mania

Álbum fica na frente da trilha sonora de O Rei do Show

Facebook/reprodução
 - Facebook/reprodução

Fall Out Boy chegou ao topo da parada da Billboard 200 com o seu sétimo álbum de estúdio, MANIA. O disco marca a quarta vez seguida que o lançamento do grupo chega ao primeiro lugar, depois de American Beauty/American Psycho (2015), Save Rock and Roll (2013) e Infinity on High (2007).

Com 130 mil unidades vendidas, o álbum ficou à frente da trilha sonora de O Rei do Show, com 109 mil unidades. A lista completa da Billboard 200 será revelada amanhã, dia 30.

O grupo já divulgou clipes de “Church“, “Wilson (Expensive Mistakes)”, e “Hold Me Tight or Don’t”.