Arquivo da categoria: Livros

O Irlandês | Livro que serviu de inspiração para o filme é relançado

Produção de Martin Scorsese já está disponível na Netflix

Cartaz de O Irlandês

A editora Seoman anunciou o relançamento do livro que inspirou O Irlandês, filme de Martin Scorsese que já está disponível na Netflix. Escrita por Charles Brandt, a obra ganhou também uma nova capa em homenagem ao longa. Confira abaixo:

Capa de O Irlandês

O Irlandês/Editora Seoman/Divulgação

O livro conta a saga de Frank Sheeran (interpretado por Robert De Niro nas telonas), um veterano de guerra dividido entre dois trabalhos: ser caminhoneiro e assassino de aluguel preferido da máfia. Frank torna-se o principal suspeito quando Jimmy Hoffa (Al Pacino), o ex-presidente da associação sindical que ele agora comanda, desaparece sem deixar vestígios.

Devido aos efeitos especiais de rejuvenescimento do De Niro, O Irlandês é o filme mais caro já feito por Scorsese e chega US$160 milhões, de acordo com o Collider.

A produção teve uma estreia intimista nos cinemas dos Estados Unidos no dia 1º de novembro, para poder concorrer ao Oscar 2020.

Como foi o clima na Bienal do Rio pós-tentativa de censura

Pânico, incerteza e protesto tomaram conta do evento no sábado de feriado

Como foi o clima na Bienal do Rio pós-tentativa de censura

O dia 7 de setembro, feriado da Independência do Brasil, foi extremamente marcante para a produção artística nacional. E, ainda mais, para a Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Após os atos de censura feitos pela prefeitura, o evento passou por diversas comoções e um dia um tanto quanto conturbado.

Tudo começou na quinta-feira, dia 5 de setembro. Em uma atitude drástica, o prefeito da cidade do Rio, Marcelo Crivella, decidiu pedir pelo recolhimento das edições da HQ Vingadores: A Cruzada das Crianças. Segundo o mesmo, a obra continha material pornográfico na qual deveria – sob o argumento do artigo 78 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) – conter um faixa mostrado que o conteúdo é explícito e embalado em uma sacola preta. O problema é que a decisão por parte de Crivella não possuía nenhum respaldo jurídico pelo motivo do material não ser pornográfico, mas sim conter um beijo entre dois personagens homens.

No dia 6, fiscais da prefeitura foram até a Bienal para procurarem edições e cassá-las. Eles acabaram por não encontrar nenhuma, esgotadas devido a imensa procura. O pequeno número de exemplares evaporou em apenas 39 minutos da sexta.

A decisão por chamar a fiscalização chocou a todos e gerou revolta por parte das editoras presentes no evento. A Faro Editorial, por exemplo, colocou um cartaz em seu estande escrito “Livros Proibidos Pelo Crivella”. Além disso, houve uma grande comoção nas redes sociais apontando censura por parte do prefeito.

O youtuber Felipe Neto transformou tudo isso em uma ação: comprou 14 mil livros de diversas editoras presentes no evento para distribuir gratuitamente escrito “Esse livro é Impróprio Para Pessoas Retrógradas, Atrasadas e Preconceituosas”. Entre as distribuídas estavam publicações como Boy Erased, Me Chame Pelo Seu Nome, Com Amor, Simon, entre outros.

Inicialmente, as obras seriam dadas em dois horários, 12h e 18h. O primeiro horário ocorreu conforme o programado, com filas se formando pela praça central do lugar desde 10h30 da manhã. O segundo acabou por ser adiantado para cerca das 15h, próximo de quando saiu a decisão do presidente do TJ-RJ de recolher os livros LGBTQ+ da feira. Dessa forma, os 14 mil exemplares foram esgotados rapidamente, por volta das 18h.

O clima ao longo do dia

Todo o sentimento ao longo do dia na Bienal foi marcado pelo acolhimento. Devido a distribuição de livros de Neto e ao feriado, o evento teve seu recorde de público em um único dia com 70 mil pessoas. Uma parte relativamente significativa desses presentes sendo jovens e LGBTQs+, com expressões através de camisas, adesivos e mais. Durante a doação, inclusive, foi possível ver muitos casais e pessoa abraçadas nas bandeiras.

Nos estandes, não houve nenhuma mudança em relação a apresentação dos livros relacionados a essa temática. Para além do posicionamento nas redes sociais, a Intrínseca foi uma das poucas a colocar a causa em destaque, com uma bandeira hasteada no início de seu estande. A Companhia das Letras tem sua área de destaque para livros da temática desde o início da convenção, tendo sido todos comprados por Felipe para distribuir. Houve reposição logo ao início do sábado. Na Harper Collins, houve a colocação do livro A Bela e a Adormecida, de Neil Gaiman, com um beijo entre duas mulheres estampado em aberto.

Após a decisão do TJ-RJ começou um clima de incerteza no ar. Alguns estandes, ao serem contatados pela reportagem, não quiseram comunicar o que fariam caso os fiscais viessem.

Visto o acontecido, era esperado que alguns dos debates girassem em torno das pautas. Na mesa ‘Diversidade, substantivo plural’, a discussão se pautou na função da diversidade e representação social na literatura. O escritor João Silvério Trevisan aproveitou para relacionar ao ocorrido no dia anterior, dizendo que “o governo usa o medo como uma epidemia. Nós conquistamos um bocado de direitos que não tínhamos antes. E quando as pessoas se mostram assustadas, eu digo que elas estão caindo no que eles [os governantes] querem”.

Quando foi sabido da vinda dos fiscais, as outras mesas assumiram um tom ainda mais direto. O debate ‘Literatura arco-íris’, na qual levava escritores LGBTQ+ para falarem de suas obras, foi interrompido pelo escritor Michel Uchiha, pedindo a união de todos em direção ao Pavilhão das Artes, onde os fiscais se encontravam. Anteriormente, já havia sido realizado um beijaço como forma de protesto

Os órgãos censores estão aqui recolhendo livros. Eles estão atacando nossas existências, liberdade de expressão e o estado democrático de direito“, sucedeu a advogada Giowana Cambrone ao auditório, antes que todos se reunissem ao lado de fora.

A chegada de fiscais da prefeitura, por volta das 18h, colocou um clima maior de pânico no ar. Esses acabaram por ficar por duras horas conversando com a direção da Bienal, em uma tentativa de impedir a entrada desses. Contudo, os agentes públicos entraram à paisana no evento.

Com livros em mãos – dos quais muitos faziam parte dos distribuídos por Felipe Neto em sua ação -, centenas de leitores faziam ecoar gritos como “Fora Crivella” e “Não vai ter censura“. Em uma marcha pelos quatro pavilhões que compõem a feira, o movimento acabou ganhando mais adeptos e tomando os holofotes dos eventos.

Entre os líderes da manifestação estavam Uchiha e a autora Marcela Passos. O primeiro tenta levar suas publicações como causa social propriamente, por isso toda a situação o marcou.

Parte dos lucros dos meus livros são aplicados para instituições com LGBTs em situação de vulnerabilidade. Amanhã [dia 8] nós vamos trazer essas pessoas para que eles tenham acesso a cultura”, conta. “Eu não quero que mais pessoas passem pelo que eu passei. Eu quero que mais pessoas tenham acesso a nossas histórias, quero que mais pessoas sejam conscientizadas, eu quero que as pessoas olhem para pessoas diferentes, quero que as pessoas entendam, de verdade, o que é diversidade”.

Justiça proíbe prefeitura de restringir venda de livros na Bienal do Rio

Polêmica começou com HQ dos Vingadores que mostrava beijo entre Hulkling e Wiccano

Justiça proíbe prefeitura de restringir venda de livros na Bienal do Rio

Bienal do Livro Rio conseguiu, nesta sexta (6), no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro um mandato preventivo de segurança para garantir o pleno funcionamento do evento neste final de semana.

Desde quarta-feira, a Bienal tem sido alvo de ataques políticos por conta da venda da HQ Vingadores: Cruzada das Crianças, que exibe um quadro com um beijo homossexual entre os personagens WiccanoHulklingA revista teve sua venda proibída pela prefeitura, mas esgotou em menos de uma hora, impedindo os fiscais responsáveis de efetuarem o recolhimento ordenado.

Por meio de seu Twitter, a Bienal comunicou que o mandato tem como objetivo proteger os direitos dos expositores de “comercializar obras literárias das mais diversas temáticas” – leia abaixo:

 

Ontem (5), o prefeito Marcelo Crivella publicou um vídeo em suas redes sociais, dizendo que solicitou o recolhimento das edições para que elas fossem lacradas, com um aviso de “conteúdo impróprio” para crianças. Escrita por Allan Heinberg e publicada originalmente em 2010, a HQ tem como personagens centrais o casal abertamente homossexual Wiccano e Hulkling, que aparece abraçado e dividindo a mesma cama em algumas páginas.

O recolhimento foi anunciado após discurso do vereador Alexandre Isquierdo (DEM) na Câmara Municipal do Rio, na última quarta (4), em que o político ataca a publicação como uma “covardia” às crianças e chama os colegas de Câmara a assinarem uma carta de repúdio contra MarvelPanini e Salvat, todas responsáveis pela publicação da revista em diferentes momentos.

Em comunicado oficial, a Bienal do Rio reafirmou a pluralidade do evento e reforçou o direito dos consumidores de trocarem livros cujos conteúdos não agradem – leia o comunicado abaixo:

A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+.

A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor.

A organização da Bienal ainda divulgou a programação de três painéis voltados para a literatura LGBTQA+. No Café Literário, com participação João Silvério Trevisan (Companhia das Letras), Jaqueline Gomes de Jesus (Metanoia) e Tobias Carvalho (Record), acontecerá a mesa “Diversidade, substantivo plural“, às 17h do dia 7 de setembro.

Também no dia 7, às 11h, o debate “Feminismo x Machismo” acontecerá com o youtuber Spartakus SantiagoMel Duarte e Ellora, tendo Claudia Sardinha como mediadora. Às 19h, a mesa “Literatura Arco-Íris” será mediada pelo autor e cineasta Felipe Cabral e contará com Lucas RochaVitor MartinsIgor PiresThati Machado, Vinicius Grossos e Pedro HMC. A última mesa da Arena #SemFiltro da Bienal acontece às 19h do dia 8 de setembro. Felipe Cabral mediará a conversa “Literatura Trans“, que contará com Laísa Marilac, Nana QueirozTarso Brant, Natalia Travassos Amora Moira.

Harry Potter banido

Outra questão envolvedo a cultura pop aconteceu no Tennessee, EUA. Uma escola católica do local baniu a saga de livros escrita por J.K. Rowling, afirmando que as magias escritas são reais e “podem invocar espíritos malignos”. A decisão foi do reverendo Dan Reehill, que afirmou em e-mail aos pais: “Esses livros apresentam magia como boa e também ruim, o que não é verdade, mas sim uma enganação”.

Confome afirmamos neste artigo, publicado originalmente em 2017, não há comportamento do lado dos mocinhos, ou mesmo dos anti-heróis, que corrobore o ódio que muitos destilam atualmente. O preconceito, em todas as suas formas, não tem espaço na cultura pop. Não é, como muitos insistem em afirmar, uma questão de opinião. Promover o ódio e desprezar diferenças é uma atitude que está, e sempre estará, do lado dos vilões.

Jogos Vorazes | Suzanne Collins anuncia livro prequel para 2020

Trama também irá para os cinemas

Camila Sousa/omelete/17.06.2019
Novo livro de Jogos Vorazes

A autora Suzanne Collins anunciou um livro prequel de Jogos Vorazes, que será lançado em 19 de maio de 2020 (via ApNews). Ainda sem título, o livro contará a história de Panem 64 anos antes de Katniss, contando uma trama dos “Dias Sombrios” e de uma rebelião que falhou. Confira a capa:

Capa do novo livro de Jogos Vorazes
Novo livro de Jogos Vorazes/Scholastic/Divulgação

Além disso, a Lionsgate, responsável pela adaptação dos quatro primeiros filmes, já conversa para levar a trama para os cinemas: “Como a casa orgulhosa dos filmes de Jogos Vorazes, mal podemos esperar para que o novo livro de Suzanne seja publicado. Estamos nos comunicando com ela durante o processo de escrita e estamos ansiosos para continuar trabalhando junto com ela no filme”, afirmou Joe Drake, chefe da Lionsgate Motion Picture Group. Apesar disso, o estúdio não respondeu se a venda dos direitos do novo livro já foi oficializada.

Fique ligado no Omelete para conferir todas as novidades sobre o projeto.

O primeiro filme de Jogos Vorazes foi lançado e 2012, com Jennnifer Lawrence no papel principal de Katniss Everdeen. A saga foi encerrada nos cinemas em 2015, com Jogos Vorazes: A Esperança – O Final.

Cyberpunk | Coletânea de contos sci-fi ganha campanha no Catarse

Livro faz parte da coleção de antologias Mundo Punk

Gabriel Avila/omelete/08.05.2019
Cyberpunk | Coletânea de contos sci-fi ganha campanha no Catarse

A Editora Draco anunciou uma campanha de financiamento coletivo para o lançamento do livro Cyberpunk – Registros Recuperados de Futuros Proibidos. Organizado por Cirilo S. Lemos e Erick Santos Cardoso, a publicação traz onze histórias com foco no contraste entre a alta tecnologia e a baixa qualidade de vida. Confira a capa e uma prévia abaixo:

Cyberpunk – Registros Recuperados de Futuros Proibidos é o último volume da coleção “Mundo Punk”, formada por Vaporpunk I e II, Dieselpunk e Solarpunk. Entre os autores estão Lemos, Marcelo A. Galvão, Claudia Dugim, Daniel Grimoni, Fábio Fernandes, Marcel Breton, Carlos Contente, Rodrigo Silva do Ó, Karen Alvares, Ricardo Santos e Michel Peres. O livro conta com um prefácio de Fábio Fernandes (Os Dias da Peste), responsável pela tradução de Neuromancer, de William Gibson, uma das maiores obras do gênero cyberpunk.

A campanha – que pode ser acessada aqui – ficará no ar até 29 de maio e tem entre as recompensas marca-páginas, cartões postais, descontos especiais e outros livros da coleção Mundo Punk.

O Homem do Castelo Alto | Editora Aleph lançará nova versão do romance

Romance de Philip K. Dick conta versão alternativa da Segunda Guerra Mundial

Gabriel Avila/omelete/03.05.2019
O Homem do Castelo Alto | Editora Aleph lançará nova versão do romance

A Editora Aleph anunciou o lançamento de uma nova versão de O Homem do Castelo Alto, o clássico romance de Philip K. Dick. A edição terá design de Giovanna Cianelli e capa de Rafael Coutinho, fortemente inspirada no estilo de Norman Rockwell, artista conhecido por retratar o estilo de vida norte-americano no início do século 20. Confira abaixo:

O Homem do Castelo Alto foi publicado originalmente em 1962 e se passa em uma versão alternativa da Segunda Guerra Mundial. No livro de K. Dick, os exércitos do Eixo teriam ganho a guerra, depois do assassinato de Franklin D. Roosevelt em 1933 – quando o presidente dos Estados Unidos sofreu um atentado à sua vida, mas que acabou vitimando Anton Cermak, então prefeito de Chicago. O livro inspirou a série The Man in the High Castle, que chegará ao fim em sua quarta temporada – saiba mais.

Branco Letal | Novo livro de J.K. Rowling será lançado no Brasil

Rowling escreve a série sob o pseudônimo de Robert Galbraith

Gabriel Avila/omelete/23.04.2019
Branco Letal | Novo livro de J.K. Rowling será lançado no Brasil

Branco Letal, o novo livro de J.K. Rowling, será lançado no Brasil. Parte da série de romances estrelados pelo detetive Cormoran Strike, o livro foi escrito pela autora de Harry Potter sob o pseudônimo Robert Galbraith. Confira capa abaixo:

Divulgação/Editora Rocco

No romance, o detetive particular Cormoran Strike é procurado por Billy, um jovem que afirma ter presenciado um assassinato no passado. Quando o jovem foge, Strike e sua sócia Robin Ellacott partem em uma busca que leva a dupla a lugares que vão desde submundo de Londres ao parlamento inglês.

O livro será publicado no pela editora Rocco em 11 de maio.

Choque Literário | Feira reúne editoras independentes em São Paulo

Programação inclui palestras e debates com autores

Gabriel Avila/omelete/03.04.2019
Choque Literário | Feira reúne editoras independentes em São Paulo

Em abril São Paulo receberá a primeira edição do Choque Literário, feira literária que reúne diversas editoras de HQs, literatura e outras publicações impressas. O evento tem entrada gratuita e a programação inclui palestras e debates com autores e profissionais da área sobre os mais diversos temas, desde livros infantis à contracultura.

O Choque Literário é organizado pela Coesão Independente, grupo informal idealizado por Cid Vale Ferreira, da Editora Sebo Clepsidra formado por mais de 50 editoras que se uniram com o objetivo de colaborar na realização de feiras e produção de livros e quadrinhos. No Choque Literário estarão presentes as editoras Skull, Mundaréu, Moinhos, Presságio, Nua, Lendari, Sebo Clepsidra, Córrego, Touro Bengala, Wish, Sinna, Luva, Jujuba, Monomito, Arché, Draco, Devora, Barbatana, Pólen Livros, Livros Prontos, Coerência, Bandeirola, Empíreo, Giz, Cartola, Selo do Burro, Parzifal, Aetia, Instante, Gosto Duvidoso, Diário Macabro e Estúdio Aspas, todas integrantes da Coesão.

Divulgação/Choque Literário/Marina Avila

Serviço:
Choque Literário – I Feira da Coesão Independente
Data/Hora: 06/04/2019 das 10h às 20h
Entrada Gratuita
Local: Rua Domingos de Morais, 1581, Vila Mariana, São Paulo, SP

Trilogia Cósmica de C.S. Lewis será republicada no Brasil

Obra surgiu após uma aposta entre o autor e J.R.R. Tolkien

Gabriel Avila/omelete/28.03.2019
Trilogia Cósmica de C.S. Lewis será republicada no Brasil

Trilogia Cósmica, a série de livros de ficção científica de C.S. Lewis, ganha nova edição no Brasil. A obra surgiu de uma aposta do autor com J.R.R. Tolkien, responsável pela série Senhor dos Anéis. Segundo estudiosos, os temas foram decididos no cara ou coroa, com o cridor da Terra Média ficando com o tema “viagem no tempo” e Lewis com “viagem no espaço”. Apesar de Tolkien não tenha cumprido sua parte, Lewis iniciou uma história que desencadeou na trilogia.

O protagonista da série é o doutor Elwin Ransom, professor e filólogo que foi inspirado na figura de Tolkien, que se aventura pelo espaço em aventuras que se passam em mundos fantásticos. O primeiro livro da série se chama Além do Planeta Silencioso e narra o sequestro do Dr. Ransom por parte do maligno doutor Weston, que o leva ao planeta Malacandra. Perelandra é o segundo livro, onde o herói decide combater o mal em um outro planeta. Por fim, forças malignas que Ransom combateu durante os outros livros se reúnem para atacar a Terra em Aquela Fortaleza Medonha. Confira as capas da nova versão abaixo:

A nova versão da série será publicada no Brasil em março pela Thomas Nelson, editora responsável por trazer grande parte da obra de Lewis, que relança a Trilogia em exemplares com capas inéditas e nova tradução.

Circe | Livro que reconta história da bruxa da Odisseia será publicado no Brasil

Romance de Madeline Miller venceu o Prêmio Goodreads na categoria fantasia

Gabriel Avila/omelete/26.03.2019
Circe | Livro que reconta história da bruxa da Odisseia será publicado no Brasil

Circe: Feiticeira. Bruxa. Entre o Castigo dos Deuses e o Amor dos Homens, o romance que reconta a Odisseia pela perspectiva da bruxa, será publicado no Brasil em abril. O novo livro de Madeline Miller (A canção de Aquiles) investiga a personalidade e trajetória da personagem desde sua infância em meio aos deuses e monstros da mitologia grega até o encontro com Odisseu, o herói da obra de Homero.

O livro utiliza uma série de referências clássicas para investigar e moldar a personalidade de uma famosa bruxa e abordar temas como violência contra mulher, maternidade e sororidade. Confira a capa e a sinopse abaixo:

Divulgação/Editora Planeta

“Na casa do grande Hélio, divindade do Sol e o mais poderoso da raça dos titãs, nasce uma menina. Circe é uma garotinha estranha: não parece ter herdado uma fração sequer do enorme poder de seu pai, muito menos da beleza estonteante de sua mãe, a ninfa Perseis. Deslocada entre deuses e seus pares, os titãs, Circe procura companhia no mundo dos homens, onde enfim descobre possuir o poder da feitiçaria, sendo capaz de transformar seus rivais em monstros e de aterrorizar os próprios deuses. Sentindo-se ameaçado, Zeus decide bani-la a uma ilha deserta, onde Circe aprimora suas habilidades de bruxa, domando perigosas feras e cruzando caminho com as mais famosas figuras de toda a mitologia grega: o engenhoso Dédalo e Ícaro, seu filho imprudente, a sanguinária Medeia, o terrível Minotauro e, é claro, Odisseu. E os perigos são muitos para uma mulher condenada a viver sozinha em uma ilha isolada. Para proteger o que mais ama, Circe deverá usar toda a sua força e decidir, de uma vez por todas, se pertence ao reino dos deuses ou ao dos mortais que ela aprendeu a amar. Personagens vívidos e extremamente cativantes, aliados a uma linguagem fascinante e um suspense de tirar o fôlego, fazem de Circe um triunfo da ficção, um épico repleto de dramas familiares, intrigas palacianas, amor e perda. Acima de tudo, é uma celebração da força indomável de uma mulher em meio a um mundo comandado pelos homens.”

Circe, que ficou em primeiro na lista de mais vendidos do The New York Times na semana de lançamento nos EUA, será publicado em abril pelo Planeta Minotauro, selo da Editora Planeta voltado à cultura pop.