Arquivo da tag: HBO

Westworld | Criador da série dá pistas sobre o futuro do Homem de Preto

Personagem teve grande reviravolta ao final da 3ª temporada

Foto de Westworld

[Cuidado com spoilers da 3ª temporada abaixo]

Durante participação em uma live na EW, Jonathan Nolan, um dos criadores de Westworld, deu pistas sobre o futuro do Homem de Preto na série. Ao final da 3ª temporada, o personagem humano é morto por sua versão anfitriã controlada por Charlotte. Segundo Nolan, os fãs podem esperar um personagem diferente dos episódios recentes:

“Eu acredito bastante em ser guiado pela ironia. William se torna essa coisa [um anfitrião], que era exatamente o que ele estava controlando por tanto tempo. Em um nível visceral, mal posso esperar para ver Ed [Harris] matar todo mundo”.

Já o intérprete do personagem ficou feliz com a “volta às origens”: “Fiquei feliz em voltar para meu uniforme preto, mas não tenho ideia do que planejaram para mim. Sei que fiz uma parceria com Tessa [Thompson] e, com sorte, poderemos fazer algum dano justo”.

Criada por Jonathan Nolan e Lisa Joy, a produção da HBO se passa no tecnológico parque faroeste de Westworld, habitado por anfitriões robôs, que interagem como seres humanos com os convidados do local. A segunda temporada também revelou que há outros parques, como o Samurai World. O primeiro ano da série marcou como a primeira temporada mais assistida entre as séries originais da emissora.

Game of Thrones | Atriz de Melisandre posta foto de bastidores; veja

Carice van Houten relembra época das gravações: “Bons tempos”

Carice van Houten, a Melisandre de GoT, posta foto de bastidores; veja

A atriz Carice van Houten, a Melisandre de Game of Thrones, publicou uma foto de bastidores da série, onde posa junto de seis colegas da série de fantasia da HBO: Kit Harington (Jon Snow), Sophie Turner (Sansa Stark), Liam Cunningham (Sor Davos), Gwendoline Christie (Brienne de Tarth), Ben Crompton (Edd) e Kristopher Hivju (Tormund), todos caracterizados como seus personagens. Confira:

View this post on Instagram

Good times

A post shared by Carice van Houten (@leavecaricealone) on

Bons tempos“, relembra a atriz na legenda.

Atualmente a HBO trabalha em House of the Dragon, a primeira série derivada de Game of Thrones. Inspirada no livro Fogo & Sangue, a produção se passará cerca de 300 anos antes dos eventos da primeira temporada da série original e será focada na Casa Targaryen.

Game of Thrones teve oito temporadas, exibidas entre 2011 e 2019, e está disponível no HBO Go.

Parque medieval em Westworld? Entenda a cena mostrada ontem (22) na série da HBO

Canal fez uma autorreferência em capítulo que brinca com realidades

Foto de Westworld

Desde que Westworld deixou claro que há vários parques, os fãs se perguntam e fazem teorias sobre quais seriam todos eles. Isso motivou a apresentação do Shogun World na 2ª temporada e retorna agora na terceira quase como uma piscada para os fãs, incluindo uma referência a outra famosa série da HBO.

[Spoilers de “The Winter Line” abaixo]

O trecho em questão mostra Bernard (Jeffrey Wright) caminhando nos bastidores do quarto parque, dessa vez com tema medieval. Em uma sala, dois funcionários da Delos discutem sobre vender uma das criações, nada menos do que Drogon, o grande dragão de Daenerys em Game of Thrones. Para deixar a referência ainda mais clara, os dois funcionários são interpretados por David Benioff e D.B. Weiss, os showrunners de Game of Thrones, cuja participação já estava confirmada há algum tempo.

Além do dragão em si, há anfitriões vestindo roupas medievais e tocando instrumentos da época enquanto Bernard e Stubbs (Luke Hemsworth) tentam descobrir a localização de Maeve (Thandie Newton). Com isso, muitos fãs começaram a se perguntar: será que Game of Thrones é mais um parque de Westworld? Ainda que seja óbvia, a resposta é não. A verdade é que a HBO aproveitou as possibilidades narrativas trazidas por vários parques e fez uma autorreferência divertida para os fãs das duas séries.

Foto de Westworld

Westworld/HBO/Reprodução

No entanto, este não é o único parque mostrado no capítulo. Desenvolvendo a cena pós-créditos da estreia, o seriado apresenta o War World, situado na Segunda Guerra Mundial. É lá que está Maeve, agora Isabella, em uma narrativa que a coloca ao lado do espião Hector, vivido novamente por Rodrigo Santoro. No entanto, por mais que um parque com essa temática seja interessante, é difícil não ver o trecho como uma repetição de conceitos, com Maeve acordando repetidamente dentro da mesma história até entender o que está acontecendo. O que salva é ver a brilhante Thandie Newton em ação. Entre momentos de confiança e medo, Maeve é uma das personagens mais completas da série e que gera mais empatia no público, superando até mesmo Dolores (Evan Rachel Wood) neste quesito.

Rapidamente a série deixa claro que o War World não existe de fato e é uma simulação para conseguir informações de Maeve. Embora seja uma reviravolta, a reação desinteressada da personagem só reflete como a acelerada revelação do plano tem pouco impacto nos fãs. Enquanto nas temporadas anteriores a série fazia questão de demorar bastante para revelar seus mistérios, que tinham grande impacto, aqui isso é tão rápido que tira o peso da trama.

Aliás, essa é toda a sensação geral passada por “The Winter Line”. A jornada de Bernard não serve (aparentemente) para nada além de mostrar os easter eggs de Game of Thrones e a narrativa de Maeve só fica interessante realmente no final, quando ela encontra Engerraund Serac (Vincent Cassel), um dos criadores do Rehoboam. Antes disso, tanto Maeve como os fãs sabem que tudo é uma simulação e nada do que está acontecendo ali tem peso real para o futuro. É bom ver Simon Quarterman de volta como Lee Sizemore? Com certeza! Mas fica a pergunta se, em uma temporada com apenas oito episódios, realmente é válido usar tempo de tela para isso.

Westworld errou em dois extremos narrativos: ser apressada demais no que deveria ter mais tempo de tela e dar um espaço exagerado para uma trama que termina em lugar nenhum. Claro que, com o histórico da série, tudo pode ter um significado maior lá na frente que vai justificar o que foi mostrado aqui. Mas as pistas para isso são tão ínfimas que não rendem nem muitas teorias, ao contrário dos anos anteriores. Fica claro que o caminho seguido por Jonathan Nolan e Lisa Joy na 3ª temporada é menos redondinho do que nos anos anteriores. Se lá eles pareciam ter total controle do que estava em tela, criando uma expectativa que era bem recompensada no final, aqui eles parecem com medo de mergulhar de cabeça no universo que criaram.

O teaser do próximo capítulo já indica que ele será focado em Charlotte (Tessa Thompson) e no mistério sobre quem está em seu corpo. Tomara que a partir de agora Westworld ganhe mais ritmo e não tenha medo de apostar em tramas realmente cativantes, que sempre foram o diferencial da série e o motivo de seu sucesso.

No Brasil, Westworld é transmitida aos domingos pela HBO, e os episódios inéditos também entram no catálogo do streaming HBO Go.

The Last of Us | Produção da série começará após lançamento do novo game

Segundo jogo chegará em maio ao PS4

Produção da série de Last of Us começará após lançamento do novo game

A produção da série de The Last of Us começará após o lançamento do novo game da franquia para PlayStation 4, prevista para 29 de maio, revelou o produtor Craig Mazin, em seu podcast, Scriptnotes (via CB).

Nós não podemos começar agora porque eles precisam finalizar o segundo game… mas nós vamos com tudo muito em breve“, disse o produtor, se referindo ao estúdio Naughty Dog, desenvolvedores dos games. Neil Druckmann, diretor dos jogos, vai trabalhar junto com Mazin na série da HBO.

Craig Mazin, criador de Chernobyl, produzirá e coescreverá o projeto ao lado de Neil Druckmann, que dirigiu o game de 2013 e também sua sequência, prevista para chegar ao PlayStation 4 em maio de 2020. A produção será da Sony Pictures Television, e também marcará o primeiro trabalho da divisão PlayStation Productions.

Ambientado em um mundo pós-apocalíptico, The Last of Us acompanha a jornada de Joel, um sobrevivente que pode ter encontrado a cura para a infecção em Ellie, garota imune ao vírus. Com excelentes críticas, o jogo chegou ao PlayStation 3 em 2013, e mais tarde foi relançado no PS4. Sua continuação, The Last of Us – Part II, chega ao console em 29 de maio.

Ainda não há previsão de estreia para a série de The Last of Us, e nem menção sobre o elenco. Essa não é a primeira vez que a Sony tenta levar o game para as telas: anteriormente, havia um filme em desenvolvimento, com produção de Sam Raimi e Maisie Williams (Game of Thrones) cotada para interpretar Ellie. Desde 2016 o projeto está em impasse – saiba mais.

The Last of Us | Quem pode interpretar Joel e Ellie na série?

Canal anunciou adaptação do game com produtor de Chernobyl

A HBO anunciou que fará uma série inspirada no game The Last of Us, com a participação de Craig Mazin, showrunner de Chernobyl. Com a confirmação do projeto, os fãs já começaram a especular quem poderá interpretar a dupla Joel e Ellie na produção. Abaixo separamos 5 duplas que dariam certo como os personagens. 

Ambientado em um mundo pós-apocalíptico, The Last of Us acompanha a jornada de Joel, um sobrevivente que pode ter encontrado a cura para a infecção em Ellie, garota imune ao vírus. Com excelentes críticas, o jogo chegou ao PlayStation 3 em 2013, e mais tarde foi relançado no PS4. Sua continuação, The Last of Us – Part II, chega ao console em 29 de maio. Já o seriado segue sem previsão de estreia.

Millie Bobby Brown e Jeffrey Dean Morgan

Divulgação

A estrela de Stranger Things e o vilão de The Walking Dead poderiam ser uma boa dupla de Ellie e Joel. A atriz tem atualmente 16 anos e talvez precisasse de um pouco de maquiagem para ficar mais jovem, especialmente para a adaptação do primeiro jogo. Talvez a agenda dos astros seja um problema, já que Dean Morgan segue como o Negan de The Walking Dead, mas os estúdios poderiam fazer funcionar.

Dafne Keen e Hugh Jackman

Divulgação

Essa dupla dificilmente se tornará realidade, já que os dois atuaram juntos em Logan e a HBO provavelmente não vai querer ligar a imagem de um novo projeto com um filme de outra empresa. Ainda assim, não custa sonhar com os dois na nova produção.

Kaitlyn Dever e Nikolaj Coster-Waldau

Divulgação

A atriz de Inacreditável e Fora de Série é apontada como uma das favoritas para o papel de Ellie. Apesar de já ter 23 anos, sua semelhança com a protagonista espanta e deixa os fãs felizes com a possibilidade. Já Nikolaj Coster-Waldau é conhecido pelo papel de Jaime Lannister em Game of Thrones e poderia ser uma boa escolha para o papel, por sua semelhança com Joel e a qualidade de sua atuação durante as temporadas da série encerrada em 2019, que, coincidentemente, também é da HBO.

Sophia Lillis e Jim Caviezel

Divulgação

Atualmente com 18 anos, Lillis ficou conhecida especialmente pelo papel da jovem Beverly Marsh em IT: A Coisa. Ela não tem muita semelhança física com Ellie, mas não dá para subestimar como a atriz ficaria com uma boa caracterização. Apesar de não ser um dos nomes mais lembrados pelos fãs, Caviezel integra a lista por sua semelhança com Joel em várias fases da vida.

Sadie Sink e Gerard Butler

Divulgação

Outra estrela de Stranger Things cotada por parte dos fãs é Sadie Sink, a Max. Com 17 anos, a atriz é outra que precisaria mudar alguns detalhes, como a cor do cabelo, mas seria uma boa escolha para uma série com possivelmente várias temporadas. Já Butler também foi apontado por sua semelhança. Atualmente sem nenhum projeto grande na TV, o ator poderia se comprometer com as filmagens e a agenda de Sink poderia ser ajustada para fazer funcionar.

Parasita | Mark Ruffalo pode estrelar minissérie da HBO, diz site

Ator interpretaria um dos protagonistas do projeto, que ainda não teve detalhes confirmados

Parasita | Mark Ruffalo pode estrelar minissérie da HBO, diz site

Mark Ruffalo está em negociações para interpretar um dos protagonistas da minissérie da HBO adaptada de Parasita, longa vencedor do Oscar 2020. A informação é da Collider

Segundo a fonte, o projeto ainda está em estágios iniciais, mas o nome de Ruffalo tem sido citado em ligação a um dos personagens principais, sem detalhes revelados. Vale ressaltar que a informação não teve confirmação da emissora e deve ser considerada rumor. 

A produção terá o diretor do longa, Bong Joon Ho trabalhando ao lado de Adam McKay. A expectativa é que a série tenha em torno de cinco ou seis episódios. 

Parasita marcou história este ano como o primeiro filme em idioma não-inglês ao vencer o maior prêmio do Oscar. O longa mostra a história de uma família em dificuldades que invade a vida da rica família Park e entra em suas cabeças quando um inesperado incidente acontece.

Parasita foi o grande vencedor do Oscar 2020, levando quatro prêmio: Melhor Filme, Melhor Filme Internacional, Melhor Direção e Melhor Roteiro Original – confira a lista completa aqui.

House of The Dragon | Derivado de Game of Thrones deve estrear em 2022

Presidente de programação da HBO disse que roteiristas começaram a escrever a história da primeira temporada

Cena de Game of Thrones

Encomendada pela HBO sem a gravação de um piloto, House of The Dragon, derivado de Game of Thrones, ganhou uma previsão de estreia. De acordo com Casey Bloys, presidente de programação da emissora, a nova série deve ir ao ar “em algum momento de 2022” (via Deadline).

De acordo com o produtor, os roteiristas ainda estão começando a escrever a história da nova série, criada por George R.R. Martin, autor dos livros que inspiraram a série original, e Ryan Condal.

A produção será inspirada no livro Fire & Blood, adendo à saga literária deMartin, e se passará cerca de 300 anos antes dos eventos da primeira temporada da série original. House of The Dragon, que terá Condale Miguel Sapochnik como showrunners, foi idealizada pelo próprio autor e teve dez episódios encomendados pela emissora.

Parasita pode ganhar série na HBO

Produção terá envolvimento de Bong Joon Ho, diretor do filme original

Parasita pode ganhar série na HBO

Parasita, filme sul-coreano vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes e Melhor Filme Estrangeiro no Globo de Ouro, pode ganhar uma série na HBO. A produção será desenvolvida por Bong Joon Ho, diretor e roteirista do longa original, e Adam McKay, vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por A Grande Aposta.

De acordo com o Deadline, várias emissoras e serviços de streaming como a Netflix entraram em contato com Ho com propostas de adaptação, mas o diretor teria escolhido a HBO por seu bom histórico com minisséries.

Vale lembrar que em seu discurso no Globo de Ouro, Bong Joon Ho sugeriu que Hollywood se abrisse mais às produções de fora dos Estados Unidos, avisando que a audiência descobrirá “muitos filmes incríveis” quando superarem as barreiras das legendas.

Parasita mostra a história de uma família em dificuldades que invade a vida da rica família Park e entra na cabeça deles quando um inesperado incidente acontece. A produção é indicada pela Coreia do Sul para concorrer a uma vaga no Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Big Little Lies – 2ª temporada | Crítica

Série retorna com menos história para contar e guarda o melhor para o final

Foto de Big Little Lies

Big Little Lies foi lançada em 2017 como uma minissérie inspirada no livro de Liane Moriarty. Por isso foi surpreendente quando a HBO anunciou que a produção teria um segundo ano. Claro, o sucesso das tramas de Madeline, Celeste, Jane, Renata e Bonnie era um grande indicativo de renovação, mas a fonte principal de histórias já tinha acabado e ficou a dúvida de como o canal abordaria a questão. Infelizmente, esse foi o grande ponto fraco dos novos episódios.

Logo no começo ficou claro que Big Little Lies não tinha uma grande história para desenvolver. Os primeiros episódios da temporada seguem um caminho mais lento, mostrando principalmente os traumas das “Cinco de Monterrey” após a morte de Perry. Desde Celeste, até Renata, cada uma é afetada e lida com isso do seu próprio modo. Somado a isso está a chegada de Mary Louise Wright, mãe de Perry, interpretada por Meryl Streep.

A adição é um dos pontos positivos da temporada, embora muitas vezes seja difícil decifrar quem realmente é Mary Louise, algo sentido também pelas personagens.  A linguagem corporal de Streep entrega a figura de uma avó frágil e sentida pela morte do filho, enquanto suas palavras ríspidas e completamente sinceras apontam para uma figura de perigo. É redundante falar o quanto Streep brilha no papel, mas a impressão que fica é que os roteiristas tiveram dificuldade em definir uma personalidade para Mary Louise, deixando-a sempre no meio do caminho e com um ar de mistério que permanece até o episódio final.

Ao se propor a falar do trauma de cinco personagens, Big Little Lies também teve um problema em dividir o tempo de tela. Foi necessário dar mais espaço a Bonnie, por exemplo, por conta de seu envolvimento na morte de Perry, mas isso tirou tempo de desenvolver Jane, Ziggy e as demais crianças. Enquanto os trailers indicavam que o personagem de Iain Armitage confrontaria a mãe e teria um tipo de revolta com a figura do pai, isso é mostrado em momentos extremamente pontuais. Renata também tem menos tempo em tela, mas Laura Dern brilha nas grandes cenas que são dadas a ela, culminando em uma verdadeira catarse no episódio final. O mesmo acontece com Madeline que, ao invés de lidar com os erros dos outros, precisa entender seus próprios sentimentos e repensar atitudes para salvar seu casamento.

Rompendo o ciclo do trauma

Apesar de ser uma pena ver alguns nomes perdendo espaço, isso resulta em algo positivo: as tramas de Bonnie e Celeste que, de forma curiosa, tratam da mesma coisa. Rapidamente é estabelecido que a personagem de Nicole Kidman tem dificuldades em lidar com o luto. Ela amava Perry e sente falta dele, mas as lembranças boas se misturam com as agressões, criando um bolo de emoções difícil de lidar. Por outro lado, Bonnie lida com a culpa de ter feito e escondido o que fez, enquanto sua mãe entra na história e revela um passado violento, com o qual ela não consegue lidar naquele momento.

Olhando para os dois exemplos, Bonnie deixa claro que sua reação violenta foi resultado de traumas causados pela mãe, enquanto Celeste luta diariamente para que seus filhos não repitam e normalizem o comportamento violento de Perry. Ao fazer isso, Big Little Lies deixa os carros de luxo e paisagens lindas de Monterrey em segundo plano, para focar nas relações familiares e no quanto elas podem ser destrutivas. Bonnie é produto de uma violência e a próxima geração de crianças pode sofrer o mesmo.

A série escolhe o lado otimista para finalizar sua trama, embora o caminho para isso não seja fácil. Como Celeste repetiu várias vezes no tribunal, as “Cinco de Monterrey” entraram em um processo de cura de tudo o que aconteceu com elas e isso rompe o ciclo de traumas, um tema importantíssimo de ser tratado nos dias atuais. Ao invés de descontar nos filhos e culpa-los, como Mary Louise fez em seu passado, Madeline, Celeste, Jane, Renata e Bonnie decidem se tornar pessoas melhores. Ao falar de seus traumas e fazer um esforço para superá-los, com ajuda de terapia, amigos e família, as personagens finalmente evoluem no episódio final, deixando as mentiras para trás e abrindo caminho para um futuro feliz.

Em fevereiro deste ano, David E. Kelley, criador do seriado, disse que não há planos para uma terceira temporada, algo que pode incomodar os fãs após o gancho deixado pela cena final. Apesar disso, a despedida de cada personagem foi mais do que justa: Madeline mudou seu relacionamento com Ed para melhor; Celeste começou o lento processo para se curar de Perry; Jane se abriu para o amor; Renata começou a seguir seu próprio caminho e Bonnie, após muito suspense, tomou a decisão certa para ficar com a consciência tranquila.

Pode ser que a HBO mude de ideia e surpreenda os fãs novamente com um terceiro ano. Mas mesmo que isso não aconteça, Big Little Lies termina aqui deixando a positiva mensagem de que é possível sim se curar de algo ruim, e que um trauma não precisa definir sua vida. O processo de cura e de encarar o que te quebrou um dia é triste e lento, mas há algo muito melhor esperando lá na frente.

Big Little Lies Em andamento (2017- )

Criado por: David E. Kelley

Duração: 2 temporadas

Watchmen revela teaser misterioso do 8º episódio; confira

“A God Walks into a Bar” será exibido em 8 de dezembro

“A God Walks into a Bar”, oitavo episódio de Watchmen, teve seu primeiro teaser divulgado pela HBO. A sinopse da prévia, que pode ser conferida acima, indica que revelações sobre o passado de Angela no Vietnã serão mostrados no próximo capítulo. 

O novo episódio vai ao ar em 8 de dezembro. Watchmen é transmitida todos os domingos pela HBO, às 23h. Os episódios também ficam disponíveis no serviço de streaming HBO Go.