Game of Thrones | George R.R. Martin recusou cameo na última temporada

Autor revelou que viagem não seria possível

Camila Sousa/omelete/27.02.2019
George Martin no Conan

Em entrevista para a EW (via Collider), George R.R. Martin revelou que recusou uma aparição na última temporada de Game of Thrones:

“Os showrunners David Benioff e Dan Weiss me convidaram para um cameo em um dos episódios finais, que eu fiquei tentando a aceitar. Mas pensei que não teria tempo de voltar para Belfast apenas por uma participação”.

O autor dos livros também revelou que uma participação sua foi cortada do piloto original da primeira temporada: “Tive uma participação no piloto original que foi cortada. Eu era um convidado no casamento de Daenerys, mas isso aconteceu quando a personagem era interpretada por Tamzin Merchant. Então quando aquela filmagem foi descartada, escalamos a Emilia Clarke”.

Recentemente foram divulgados vários detalhes sobre esse episódio piloto e como ele era diferente do material final – saiba mais.

A oitava e última temporada de Game of Thrones estreia em 14 de abril.

Anúncios

007 | Rami Malek negocia para ser o novo vilão de James Bond

25º filme do personagem tem o retorno de Daniel Craig

Camila Sousa/omelete/27.02.2019
Foto de Mr. Robot

Segundo o Collider, Rami Malek está em negociações finais para ser o vilão do próximo filme de James Bond.

O ator, vencedor do Oscar por Bohemian Rhapsody, já era cotado para o papel anteriormente, mas sua agenda de gravações de Mr. Robot estava em conflito com a nova produção. Agora, segundo o site, a equipe do ator conseguiu negociar a escala para que ele consiga fazer as duas produções. O acordo ainda não foi fechado, mas está muito perto de acontecer.

O próximo 007 terá Cary Joji Fukunagana direção, e a dupla Neal Purvis e Robert Wade, que trabalhou nos últimos seis filmes da franquia de James Bond, no roteiro. Daniel Craig retorna ao papel principal, assim como Lea SeydouxNaomie Harris, Ben Whishaw e Ralph Fiennes também devem reprisar seus personagens.

A estreia está marcada para 8 de abril de 2020.

Caim | Editora planeja reeditar obra de Lord Byron inédita no Brasil há 130 anos

Poema dramático foi publicado no país em 1889

Gabriel Avila/omelete/27.02.2019
Caim | Editora planeja reeditar obra de Lord Byron inédita no Brasil há 130 anos

A editora Sebo Clepsidra anunciou uma campanha de financiamento coletivo para reeditar Caim, poema dramático de Lord Byron publicado pela última vez no Brasil há 130 anos. Caim: Um Mistério terá ilustrações que datam do século XIX, prefácios tanto da tradução brasileira publicada em 1889 quanto do próprio Lord Byron. Confira a sinopse da obra:

“Nesse drama em versos, o autor põe em foco o contato de Caim com Lúcifer e a iniciação que o anjo caído oferece ao agricultor. Reforçando suas ressalvas em relação a Deus, Lúcifer o leva em uma jornada pelas esferas (inclusive pelo reino da Morte) para compartilhar seu conhecimento arcano, o que cada vez mais indispõe Caim, que já se torturava com as contradições entre o que seus olhos viam da crueldade divina e o que era dito da bondade de Jeová. O resultado literário é simplesmente épico!”

A campanha – que pode ser acessada aqui – ficará no ar até 12 de abril e tem entre as recompensas marca-páginas, ecobag, camiseta e até uma edição de Manfredo, poema de Byron também publicado pela Clepsidra.

Constantine pode ganhar nova série de TV com Matt Ryan, diz rumor

Site afirma que Warner Bros. quer dar uma série digna ao personagem

Arthur Eloi/omelete/27.02.2019
Constantine pode ganhar nova série de TV com Matt Ryan, diz rumor

Parece que o Constantine deve ganhar mais uma série de TV. Segundo fontes do We Got This Covered, a Warner Bros. está planejando “um seriado inteiro” do personagem.

Além disso, o site também afirma que o estúdio quer que Matt Ryan, que viveu o Mestre das Artes Sombrias na série da NBC e também no Arrowverse, seja novamente o protagonista. Isso complicaria um pouco a adição do programa ao streaming do DC Universe, que tem o seu próprio universo iniciado por Titãs ao invés de compartilhar a cronologia de Arrow – se for o caso, é bem possível que trate-se de um programa sem vínculos anteriores, mesmo com a participação de Ryan.

Vale ressaltar que trata-se apenas de rumores sem confirmação. A Warner Bros. não se pronunciou sobre o relato até o momento.

O Constantine – a versão de Matt Ryan – foi inicialmente apresentada na TV em 2014, com uma série-solo na NBC que durou apenas uma temporada de 13 episódios antes de ser cancelada. Após isso, o personagem fez algumas aparições em Arrow, e depois se juntou a equipe de Legends of Tomorrow onde está até hoje. Além disso, Ryan também dubla Constantine na animação City of Demons, da CW Seed.

The Office | Steve Carell faz surpresa para Jenna Fischer, a Pam

Atores se reencontraram em programa de TV

Camila Sousa/omelete/27.02.2019
Foto de The Office

Steve Carell e Jenna Fischer tiveram um reencontro fofo de The Office. A atriz, que interpretou a Pam no seriado, estava em um programa de TV quando foi surpreendida pelo colega. Confira abaixo a partir de 02:30:

Antes do encontro, Fischer recebeu presentes divertidos enviados pelo elenco da série. Nas redes socias, fãs compararam o encontro com a despedida de Michael Scott do programa:

“Alguém reparou no abraço? É a cena do aeroporto de novo! Muito amor”.

A versão americana de The Office teve 9 temporadas e o último episódio foi ao ar em 2013. Além de Carell e Fischer, o elenco tinha John Krazinski (Jim), Rainn Wilson (Dwight), Ed Helms (Andy), Creed Bratton (Creed), Paul Lieberstein (Toby), Brian Baumgartner (Kevin), Leslie David Baker (Stanley), Phyllis Smith (Phyllis) e Oscar Nunez (Oscar).

Sofi Tukker fará show em São Paulo em junho

Dupla apresenta o álbum Treehouse

Julia Sabbaga/omelete/27.02.2019

Sofi Tukker fará show em São Paulo em junho


O duo Sofi Tukker confirmou um show em São Paulo em junho, quando apresentará o álbum indicado ao Grammy, Treehouse. O evento da Monkeybuzz acontecerá na Audio, em 13 de junho.

Ingressos do primeiro lote, com preços a partir de 60 reais, já estão sendo vendidos. Completam a programação os DJ-sets de Alex Corrêa e Cleber Facchi.

SERVIÇO

13 de junho, a partir das 22h
Audio (Av. Francisco Matarazzo, 694 – Barra Funda)
Ingressos: Primeiro lote a partir de 60 reais (meia entrada)
Venda: Ticket360
Evento: Facebook

A dupla fez show no Lollapalooza 2018 e já conversou com o Omelete sobre sua formação e carreira – leia aqui.

The Batman | Rumor sugere que filme deve ter pelo menos três vilões

Espera-se que outros personagens façam pequenas aparições em Gotham

Mariana Canhisares/omelete/27.02.2019

Informações apuradas pelo colaborador da Forbes, Mark Hughes, apontam que The Batman terá ao menos três vilões. No Twitter, ele afirmou que o filme inclui pequenas aparições de outros personagens nas ruas de Gotham, ora apenas como cameos, ora como coadjuvantes. Confira:

Vale notar a Warner Bros. revelou muito pouco sobre o projeto. Logo, trate as afirmações acima como rumores.

Ainda não houve confirmação por parte da Warner Bros. sobre quem será o novo Homem-Morcego nos cinemas. Sabe-se apenas que o filme tem estreia marcada para 25 de junho de 2021.

Não há detalhes adicionais sobre a trama de The Batman.

Tagua Tagua lança clipe cinematográfico para “Desatravessa”; confira

Faixa faz parte do EP Pedaço Vivo

Julia Sabbaga/omelete/27.02.2019

 

Tagua Tagua, trabalho solo do compositor e produtor musical Felipe Puperi, lançou o clipe de “Desatravessa”, faixa do EP Pedaço Vivo. Confira acima.

O clipe foi dirigido por Otavio Machado e realizado pela Paranoid, com coprodução da produtora gaúcha Fill Content. Para o compositor e o diretor, a ideia do clipe é representar diferentes ciclos da vida, como uma obra audiovisual rápida e que se resolve logo: “Queríamos mostrar isso de vários pontos de vista, desde o fim de um ciclo, tipo perder a virgindade, até o não mais sentido em estar vivo, também a perda, a solidão da velhice”, disse Puperi.

Pedaço Vivo está disponível nas plataformas digitais.

The Mandalorian | Série de Star Wars termina gravações

Data de estreia ainda não foi divulgada

Camila Sousa/omelete/27.02.2019
Foto de The Mandalorian

Segundo The Wrap, terminaram as gravações de The Mandalorian, série live-action de Star Wars. O seriado ainda não tem data de estreia, mas o site ressalta que o lançamento será no Disney+, streaming da empre que deve ficar disponível no final de 2019.

Pedro Pascal faz o papel principal e a trama se passa entre O Retorno de Jedi e O Despertar da Força, “acompanhando os percalços de um pistoleiro solitário nos confins da Galáxia, longe da autoridade da Nova República”. Completam o elenco principal Nick Nolte, Werner Herzog, Gina Carano e Giancarlo Esposito.

Jon Favreau produz e escreve o projeto, que é a primeira série de TV live-action da franquia Star Wars.

Bone | Oito razões para ler a obra-prima de fantasia

HQ de Jeff Smith foi relançada no Brasil em 2018

Marcelo Hessel/omelete/27.02.2019
Bone | Oito razões para ler a obra-prima de fantasia

A série Bone, criação mais famosa do quadrinista americano Jeff Smith, ganhou uma reedição no Brasil em 2018. É a promessa de termos pela primeira vez não apenas a versão colorizada da HQ como também sua versão integral – Bone nunca foi publicada por inteiro no país.

A HQ conta a história de três primos, Fone Bone, Phoney Bone e Smiley Bone, que são expulsos de sua cidade, Boneville. Os três partem em uma jornada em busca de um novo lugar para viver, mas acabam se perdendo. A fantasia é um recordista de prêmios nos EUA, e na galeria abaixo nós listamos oito motivos para ler Bone.

O humor

O humor está muito presente no texto, com jogos de palavras, em piadas literais e de costumes, mas ele também se traduz eficientemente nos desenhos de Smith. Quando o inverno chega, por exemplo, ele cai como um grande disco de neve, e o efeito cômico (que o leitor talvez esperasse já que todo mundo avisa Fone Bone que o inverno chega rápido) ganha outra dimensão com o espírito cartunesco do jogo desenho-quadro-página.

Os personagens

O carisma dos personagens e a inversão de expectativas tradicionais das histórias de fantasia geram tipos memoráveis como a esquentada vovó Ben, que não faz o tipo benevolente e inofensivo dos contos de fada, embora pareça sempre bonachona com seu sorriso pequeno, como uma versão feminina de Popeye.

O drama

A ameaça do vilão remete ao imaginário dos magos malvados e coloca um pouco de tempero de O Senhor dos Anéis em Bone, já sugerindo no primeiro volume que a história dos três primos envolverá tentações, potenciais traições e outras provações morais, ou pelo menos uma trama cheia de mistérios e revelações. Smith sabe usar bem a emoção quando menos se espera, como na splash page em que quebra o coração apaixonado de Fone Bone antes da corrida de vacas.

As viradas visuais

Boa parte do humor de Bone passa por quebrar visualmente nossas expectativas sobre esse mundo de fantasia. Insetos podem se revelar gigantes, embora chapados em profundidade, assim como abelhas em árvores agigantadas não se diminuem e sim se aumentam com a mudança de perspectiva. Smith brinca com anatomia e perspectiva para gerar situações cômicas que sempre reorganizam o mundo da HQ como uma terra de surpresas.

A familiaridade

Prever o comportamento dos personagens, como num bom desenho animado de sábado de manhã, que envolve a repetição de dinâmicas estabelecidas, é uma das graças de ler Bone. Quando as ratazanas perseguem Fone Bone, por exemplo, é quase certo que a cena de ação descambará para uma confusão que termina com a frase de efeito mais conhecida da HQ: “Stupid, stupid rat creatures!”.

As brisas

Bone envereda por metalinguística e referências literárias mas não de um jeito pedante, nem exige que o leitor entenda tudo de Moby Dick. Quando brinca com o caráter épico dessas histórias, Jeff Smith pega emprestado para si um pouco da grandiosidade e a traduz visualmente em brisas de impacto como a splash page com o dragão no sonho de Fone Bone. Os sonhos dentro da HQ, de modo geral, são grandes momentos de terror e maravilhamento com o mundo de fantasia de Bone.

Os conceitos

Bone joga o tempo todo com mudanças de status quo: os primos Bone que precisam lidar com uma realidade sem a bonança em Boneville, o reino no vale que não pode se reestabelecer, a família real que aprende a viver como fazendeiros. Essas mudanças se resumem em um conceito de fantasia quase quântico, que é a existência, ao mesmo tempo, dos velhos tempos gloriosos de cavalaria (o mundo dos sonhos) e os tempos atuais, e a princesa Thorn é capaz de transitar entre os dois. Essa ideia consagra Bone como uma HQ que, numa brincadeira de metalinguagem, presta homenagem aos clássicos do gênero.

A previdência

Bone começou a sair em 1991, e quando a HQ já estava quase na metade, em 1997, bem antes do 11 de setembro e do governo Bush, Phoney Bone já lucrava nos seus negócios incentivando o medo e a paranoia dos humanos simplórios de Barrelhaven. O fato é que a criação de Jeff Smith envelhece bem falando sobre coisas diversas como capitalismo, e seus temas – não apenas aqueles que lidam com arquétipos atemporais de narrativa fantasiosa – continuam atuais demais.